PR exprime profundas condolências pela morte de Pepino

O Presidente da República, João Lourenço, exprimiu, ontem, as suas “mais profundas condolências” à família do ciclista Alberto da Silva “Pepino”, falecido Sábado, em Benguela, aos 95 anos de idade, por doença.

Natural de Benguela, o ciclista, que João Lourenço considera como um “verdadeiro ícone do desporto nacional e internacional”, morreu Sábado, no Hospital Geral de Benguela, vítima de paragem respiratória. “Com profunda consternação tomei conhecimento do passamento físico do ciclista veterano benguelense Alberto da Silva, marceneiro de profissão, a quem os seus familiares, amigos e admiradores apelidavam carinhosamente de “Pepino”, escreve João Lourenço na carta. O Presidente da República reconhece, ainda, que Alberto da Silva “Pepino” granjeou em vida o respeito de todos os angolanos a partir do momento em que, já numa idade avançada, demonstrou a capacidade de se superar e de servir de exemplo para as novas gerações, envolvendo-se em competições em que, empenhada e dedicadamente, punha à prova e excedia os seus próprios limites de resistência.

Neste quadro, João Lourenço destaca os inúmeros títulos nacionais e internacionais conquistados ao longo da sua carreira, em especial a sua participação, em 2009, nos Jogos Olímpicos da Terceira Idade, em São Francisco, nos EUA, para onde regressou quatro anos depois tornando-se campeão mundial na sua categoria. Após destacar que Pepino recebeu, em vida, inúmeras medalhas como reconhecimento pelos seus feitos em prol do ciclismo, o Presidente da República expressa o desejo de que o seu legado de humildade, força de vontade, disciplina, dedicação ao desporto e de amor à Pátria sirva de “exemplo” para as actuais e futuras gerações. Na visão do Presidente da República, essas qualidades de Pepino “são a melhor expressão das reais qualidades do Povo angolano”.

Recentemente, o veterano pedalou 34 quilómetros, em 1 hora, 44 minutos e 38 segundos, no percurso Benguela-Talamajamba, numa iniciativa inserida nas manifestações alusivas as 57 anos do início da Luta Armada. Em 2015, com 92 anos na altura, pedalou 40 quilómetros no mesmo trajecto em 1 hora e 19 minutos, com o propósito de homenagear os heróis do 4 de Fevereiro de 1961. Depois de ter participado, em 2009, em São Francisco da Califórnia, Estados Unidos da América (EUA), nos Jogos Olímpicos da Terceira Idade, voltou, em 2013, àquele país, onde se consagrou campeão mundial na sua categoria, conquistando duas medalhas de ouro em provas de contra-relógio e de fundo.