Marginais violam e asfixiam mãe e filho na Funda

Seis jovens, entre os quais um primo da vítima, estão detidos no Comando da Divisão de Cacuaco por, supostamente, terem morto a cidadã Joyce Gaspar Manuel Salvador, 21 anos, e o seu filho Walter Salvador Francisco, de seis meses de idade, na comuna da Funda, em Luanda

POR: Stela Cambamba

Os familiares das vítimas tiveram conhecimento da ocorrência Sábado, 4, por volta das 19 horas, quando a tia da malograda arrombou a porta da casa onde ela vivia com a mãe, na comuna da Funda, município de Cacuaco, em Luanda, tendo-os encontrado mortos no interior de um dos quartos. Victor Francisco, pai da criança, que vivia separado delas, explicou que tomou conhecimento da ocorrência por via telefónica, às 22 horas, através de uma das primas da mãe do seu filho, tendo acorrido de imediato ao local. Segundo os seus familiares, Victor constatou que no quarto em que se encontravam os corpos não havia indícios de que tivesse sido assaltado.

Dias antes, Quinta-feira, 2, segundo familiares de Victor Francisco, a malograda lhe solicitou, pelo telefone, que comprasse fraldas para o bebé, mas, como neste dia não teve disponibilidade para se deslocar ao seu encontro, predispôs-se a fazê- lo no dia seguinte. Para sua infelicidade, Sexta-feira também não pôde fazê-lo. Como horas antes se havia deslocado à residência, na manhã de Sábado, para deixar as fraldas para o seu filho, mas não conseguiu vê-lo porque a porta estava fechada com cadeado por fora, passou a ser considerado pelos parentes de Joyce como o principal suspeito do cometimento do crime. Na altura, tentou contactar Joyce Salvador pelo telefone, porém, sem sucesso, pois, o mesmo se encontrava desligado. Entretanto, julgou que ela tivesse saído com a sua mãe (no caso a sua sogra) ou ido à casa do pai (o seu sogro), contudo, estava completamente errado: ambos já estavam mortos.

Ao tomarem conhecimento das suspeitas, os familiares de Victor Francisco decidiram que o caso não devia permanecer um mistério. Exigiram que se fizesse uma autópsica aos corpos, como a lei determina, para a descoberta da causa das mortes. Os resultados apontaram ter sido por asfixia. Tendo em conta a burocracia que casos do género acarreta, o funeral foi realizado apenas quatro dias depois, no dia 8. Na manhã seguinte, quando menos esperavam, os familiares de Joyce aperceberam-se que o seu telemóvel estava na posse de um jovem também residente na Funda. Ao ser abordado por eles, esse revelou que recebera o telemóvel das mãos de um dos primos da vítima, o que levou-os a descartar qualquer envolvimento de Victor Francisco no assassinato da ex-mulher e do filho. Em razão dos resultados preliminares da investigação, a Polícia deteve seis jovens altamente suspeitos de praticarem os dois homicídios qualificados, de violação e de roubo. Maria Rita, irmã do Victor, anseia que este caso tenha um desfecho “positivo” e que os culpados sejam exemplarmente responsabilizados. Confessou que embora Joyce e Victor não vivessem juntos, desenvolviam uma boa relação em virtude do filho. A jovem frequentava a casa dos pais do Victor e vice-versa.