Carta do leitor: Estamos malé, malé, ya!

Carta do leitor: Estamos malé, malé, ya!

Com a crise que passou a morar em Agola a partir de 2014, o Executivo desceu a correr dos limbos da “banga angolana” e decidiu um quanto tarde demais - mais de 40 anos de atraso - pôr os pés assentes no chão e criar políticas públicas . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta