Cidadão baleado mortalmente por agente da polícia

A Polícia criou uma Comissão de Inquérito, chefiada pelo director de Inspecção, superintende-chefe Mateus Lourenço Carlos para averiguar a ocorrência.

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

Paulo Domingos Capingalã, de 23 anos, foi morto, no bairro da Canata, município do Lobito, na sequência de disparos efectuados por agentes da Polícia Nacional, visando dispersar uma briga de jovens, no passado dia 13. Segundo fontes de OPAÍS, o incidente que resultou na morte de Paulo Capingalã se deu na madrugada, no bairro da Canata, onde a vítima residia. De acordo com pessoas que testemunharam o incidente, o suposto autor do disparo mortal reagiu a uma acção de um dos jovens.

Em comunicado a que OPAÍS teve acesso, o Comando Provincial da Polícia Nacional refere que o Comando Municipal do Lobito foi solicitado a intervir numa briga entre amigos que se estava a generalizar no antigo mercado da Canata. Dada à ocorrência, o comando mobilizou para o local três efectivos para reporem a ordem e a tranquilidade. Entretanto, prossegue o comunicado, a presença deles gerou entre os contendores um sentimento “aversivo, tendo mesmo estes partido para investida contra os agentes da autoridade na tentativa de desarmá-los”, explica o comunicado da corporação.

Para acalmar a situação e visando a reposição da ordem, justifica-se a Polícia, foram efectuados alguns disparos com vista a conter a fúria dos jovens, tendo um deles, que em vida respondeu pelo nome de Paulo Capingala, de 23 anos, sido atingido mortalmente na região parietal (na cabeça). A Polícia avança, por outro lado, que, com base nos factos, foi já criada uma Comissão de Inquérito, chefiada pelo director de Inspecção, superintende- chefe Mateus Lourenço Carlos, para averiguar a ocorrência. Este órgão de defesa e segurança lamenta o sucedido e aconselha a população a não enveredar nessas práticas.

No dia em que Paulo Capingala foi a enterrar, na Quarta-feira, os seus amigos tentaram protagonizar uma cena de retaliação contra a Polícia, mas sem sucesso. Os efectivos da Ordem conseguiram acalmá-los sem qualquer incidente. Segundo relatos de moradores, o bairro é bastante crítico no que a delinquência diz respeito. Recorde-se que, no contacto com as comunidades do Lobito, no quadro da nova estratégia de combate ao crime, ao comandante provincial de Benguela, Elias Livulo, foi reportado o quadro preocupante de criminalidade.