Trump diz que autorizou equipa da Casa Branca a cooperar com Mueller

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse no Sábado que autorizou o assessor da Casa Branca, Don McGahn e outros funcionários, a “cooperar plenamente” com a investigação sobre o suposto conluio entre a sua campanha e Moscovo.

As declarações de Trump vieram depois que o jornal The New York Times relatou que McGahn havia “cooperado extensivamente” com a investigação do conselheiro especial Robert Mueller, participando, pelo menos, em três entrevistas com investigadores, totalizando 30 horas. “Eu permiti que o Conselheiro da Casa Branca Don McGahn e todos os outros membros solicitados da Casa Branca, cooperassem totalmente com o Conselho Especial”, Trump twittou. “Além disso, entregamos prontamente mais de um milhão de páginas de documentos. Mais transparente na história. Sem conluio, sem obstrução.

Caça às bruxas!” Trump vê a investigação liderada pelo conselho especial Robert Mueller como um obstáculo à sua presidência, e tem repetidamente pressionado para que ela termine. O jornal The New York Times relatou que McGahn havia fornecido “relatos detalhados” sobre episódios relacionados a uma possível obstrução à justiça, citando uma dezena de funcionários actuais, antigos e outras fontes.

As informações fornecidas por McGahn incluíam as tentativas do presidente de demitir o conselho especial e os comentários e acções de Trump aquando da demissão do director do FBI, James Comey. O jornal disse que não está claro se Trump sabia da extensão da cooperação de McGahn, observando que é raro um advogado ser tão aberto com os investigadores.