Editorial: Diplomacia e confiança

Angola tem afirmado a sua política internacional mostrando-se como um parceiro firme, respeitável e confiável. Em África, a aposta tem sido sobretudo política, influenciando processos de paz nas regiões mais conturbadas. Aqui, basicamente, há uma linha de continuidade em relação ao desempenho do Governo de José Eduardo dos Santos. Pela afirmação regional e também por questões de segurança. Fora do continente, há uma pequena alteração, com a assumpção do desejo de cooperar com os melhores e de crescer o mais rapidamente possível. Os parceiros de desenvolvimento continuam a ser os mesmos, basicamente, mas a aposta vai para quem tem conhecimento, dinheiro e transparência. As visitas presidenciais a França, Bélgica e Alemanha, quase de rajada, confirmam uma ligeira deslocação do núcleo das “amizades”.