Carta do leitor: Besteira do tempo das vacas gordas

Caríssimo senhor director, Espero que esteja bem de saúde, em companhia de todos os que lhe são queridos.

POR: Roberto Chambassuco
Cacuaco

O que me leva a escrever para esta rubrica é que, numa fase como a que o país atravessa, quando olhamos para trás no tempo damo-nos conta de como tanto se esbanjou dinheiro para bem pouca coisa, fazendo obras sem primeiro efectuar nenhum levantamento no terreno, ou consulta. Estou a referir-me à ponte aérea que foi colocada defronte à Maxi do Morro Bento (Luanda), passe a publicidade, um lugar aonde não há travessia de pessoas, muitas vezes está mesmo vazia, deveria ter sido colocada entre o Mundo Verde e as bombas da Pumangol, local em que todos os dias se provocam engarrafamentos porque as pessoas atravessam (muitas) na passadeira defronte ao Mundo Verde e a da Escola de Condução Académica. Será que é necessário importar alguém expert nesta matéria, quando até uma criança vê que as pontes aéreas devem ser construídas ou colocadas nos locais de maior travessia de pessoas? A continuar assim, a construir à toa não vamos a lado nenhum, nunca saíremos da cepa torta sem planificação rigorosa.