Carta do leitor: Que viva a Carta do Leitor

Com sinceridade e sem bajulações, o vosso e nosso jornal, só na Carta do Leitor, tira nota 20. É o espaço sagrado do cidadão e do país. É a porta aberta em busca do melhor. Do bem-estar.

Por: Francisco Augusto,
Luanda

Asseguro-lhe que sou um leitor permanente da Carta do Leirtor e na medida do possível dou a minha contribuição. Aliás, sempre darei, desde que a luz verde do vosso semáforo o permita. Ou melhor, enquanto o jornal O PAÍS existir e eu também neste mundo tumultuoso de tristezas e alegrias, estamos casados, juntos e encostados. Cada carta é um alerta ao cidadão e à governação.

É uma crítica construtiva ou terapia salutar à sociedade. Aqui em Angola quase sempre se dá uma no cravo e outra na ferradura. Dá-se o pão, o chocolate e a palmatória. Enfim, o elogio e a crítica. A análise, a sugestão e a proposta acerca de tudo o que nos rodeia, alegadamente para o alcance de uma Angola cada vez melhor.

Pena é que muitos do casos e assuntos aqui abordados ainda vão levar muitos anos para a sua solução. Outros, até, se mantêm nas gavetas ou nos segredos dos deuses, muitos oram para que não se fale mais naquele mal que mesmo fora dos tribunais é condenado a todos os títulos.

Caro cidadão, mesmo assim não deixe de fazer a sua parte. Que viva para o todo e sempre a Carta do Leitor. Boa semana a todos