Incêndio destrói Museu Nacional no Rio de Janeiro

 Um incêndio de grandes proporções destruiu o Museu Nacional no Rio de Janeiro, que corre agora o risco de desabamento. Luiz Fernando Dias Duarte, o vice-diretor do museu, disse que o arquivo histórico do museu, ficou “totalmente destruído.”

A reitoria da universidade indicou que o incêndio começou por volta das 19:30 locais e que não há registo de vítimas.

O Presidente do Brasil, Michel Temer reagiu, em comunicado: “Incalculável para o Brasil a perda do acervo do Museu Nacional. Hoje é um dia trágico para a museologia do nosso país. Foram perdidos 200 anos de trabalho, pesquisa e conhecimento. O valor para a nossa história não se pode mensurar, pelos danos ao prédio que abrigou a família real durante o Império. É um dia triste para todos brasileiros”.

Antes, o Ministério da Educação já tinha lamentado as consequências do incêndio no museu “criado por D. João VI e que completa 200 anos este ano”.

O ministério sublinhou que serão feitos todos os esforços para auxiliar a Universidade Federal do Rio de Janeiro, que geria o museu, no que for necessário para a recuperação do património histórico.

O Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, disse que um contrato de revitalização do Museu Nacional foi assinado em junho, mas não houve tempo para que o projeto pudesse acontecer e para que a “tragédia” fosse evitada.

O Museu Nacional é a mais antiga instituição científica do Brasil voltada para a investigação e memória da produção do conhecimento, hoje vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro.