loader

Cidadão mata enfermeiras por terem abortado filho seu

O Serviço de Investigação Criminal confirmou, ontem, durante o balanço das últimas actividades, a detenção de um cidadão que confessou ter matado duas enfermeiras, por estas terem feito o aborto da gravidez de sua esposa sem o seu consentimento.

Texto de: Romão Brandão

O cidadão, cujo nome o SIC prefere não revelar, de 35 anos de idade, é mecânico de profissão e esperava um filho de sua esposa até antes de acontecer o aborto supostamente realizado pelas enfermeiras Celiza Menezes dos Santos, de 52 anos, e Carlota Garcia, de 43. Estas duas cidadãs estavam desaparecidas desde o dia 26 de Julho do corrente ano, situação que fez despoletar as investigações, que culminaram com a detenção do mecânico, este que veio a confessar o crime.

O cidadão atraiu as vítimas para junto de sua casa, no Zango IV, surpreendeu-as com golpes de martelo no crânio, asfixiou-as e enterrou-as dentro do seu quintal. O porta-voz do SIC-Luanda, Fernando de Carvalho, que falava à imprensa depois da reconstituição do crime, ontem, no Zan
go IV, e desenterro dos cadáveres, disse que o alegado homicida terá ficado furioso com o facto de as enfermeiras terem feito o aborto, pois estava ansioso em ver nascer o seu primogénito.

Detido desde o dia 12 do corrente mês, o homem vem indiciado pela prática dos crimes de ocultação de cadáver e danos materiais concorrido com roubo. Este último crime foi praticado no sentido em que o cidadão apoderou-se da viatura Hyundai I10, de uma das vítimas, e pelo facto de ter conhecimento de mecânica a desmontou e vendeu o motor e o chassi, ficando em sua posse os restantes acessórios. As duas enfermeiras trabalhavam nos hospitais Ana Paula e Mamã Jacinta, ambos no município de Viana. As famílias das malogradas preparam as exéquias fúnebres para lhes dar um enterros condignos.

Últimas Notícias