Rebeldes anti-Índia sequestraram e mataram três polícias em Caxemira

Rebeldes que lutam contra o domínio indiano em Caxemira sequestraram e mataram três polícias naquela região, informaram hoje as forças de segurança.

 

O caso aconteceu dias depois do maior grupo rebelde da região ter pedido aos polícias que deixassem as forças de segurança em Caxemira.
Segundo a polícia, quase duas dúzias de rebeldes invadiram hoje uma dúzia de casas em duas localidades do sul de Caxemira e sequestraram três polícias e uma quarta pessoa que se tinha demitido daquela força de segurança dias antes, que acabou por ser libertada, ilesa.
A Caxemira indiana, de maioria muçulmana, tem sido o principal ponto de discórdia entre a Índia e o Paquistão desde a criação de ambos os países em 1947 após a independência dos britânicos, tendo ocorrido duas guerras pela região e vários conflitos menores.
Ambos os países reclamam a posse da região no seu todo. A população de Caxemira é maioritariamente muçulmana (tal como o Paquistão) pelo que na região predomina um sentimento anti-Índia (de maioria hindu).
Vários grupos armados lutam pela independência de Caxemira face à Índia (ou a sua integração total no Paquistão) desde 1989. Cerca de 70 mil pessoas morreram na rebelião armada e subsequente resposta indiana.
A Índia acusa o Paquistão de armar e treinar estes grupos armados, mas Islamabad nega que o esteja a fazer.
Os dois países tentaram várias vezes iniciar um processo de entendimento sobre este assunto.
Na quinta-feira, o novo primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, convidou o seu homólogo indiano, Narendra Modi, a visitar Islamabad para “reiniciar o estagnado processo de diálogo” e abordar questões como o terrorismo e a Caxemira