Preso ex-ministro dos Transportes

O porta-voz dos Serviços Penitenciários (SP) do Ministério Interior (MININT), Meneses Cassoma, confirmou a OPAíS a detenção deste homem que deixou o Governo em Junho deste ano, na sequência da sua exoneração pelo Presidente da república

O ex-ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, foi detido ontem, Sexta-feira, 21, em Luanda, depois de ter sido ouvido no Departamento Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP) da Procuradoria-Geral da República(PGR). Segundo fontes deste jornal, contra Augusto Tomás pendem acusações gravíssimas de peculato e desvio de fundos, cujo interrogatório demorou mais de 10 horas, e no fim da tarde foi encaminhado para a Cadeia de São Paulo, nas proximidades do Estádio Nacional da Cidadela Desportiva, no distrito do Rangel, em Luanda.

Segundo apurou O PAÍS de fonte familiarizada com o assunto, a audição a Augusto Tomás começou em Junho deste ano, dias depois de ter sido exonerado pelo Presidente da República, João Lourenço. A investigação decorreu na sequência de resultados de uma inspeção feita às empresas públicas do sector dos transportes, com destaque para o Conselho Nacional de Carregadores(CNC).

Causas da exoneração

Fontes familiarizadas com o assunto dizem que a exoneração de Augusto da Silva Tomás, que já foi ministro das Finanças no antigo Governo do ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, resultou da polémica criação de uma empresa de aviação, a Air Connection Express. Em Maio passado foi anunciado, em Luanda, a constituição do consórcio público-privado para lançar a Air Connection Express, que pretendia garantir voos domésticos em Angola e que juntava, além da companhia de bandeira TAAG, a Airjet, Air26, Diexim, Mavewa, Air Guicango, Bestfly e a SJL, algumas destas supostamente relacionadas a membros do actual Governo angolano.

A construtora canadiana Bombardier chegou mesmo a anunciar a 06 de Maio que iria fornecer, por 198 milhões de dólares (165 milhões de euros), seis aviões Q400 para a Air Connection Express, conforme contrato assinado em Luanda, na presença do ex-ministro dos Transportes de Angola, Augusto Tomás, que passa a ser o primeiro ex-governante angolano a ser detido por crime de peculato. Refira-se que no seu combate contra a corrupção, uma cruzada anunciada na sua tomada de posse, o Presidente da República, João Lourenço, havia anunciado uma guerra implacável contra o também conhecido crime de “colarinho branco”.

O homem da notícia
Augusto da Silva Tomás, nasceu a 06 de Outubro de 1957, na província de Cabinda, e formou-se em Economia na Universidade Agostinho Neto.
Tem uma pós-Graduação em Projectos Agro-Industriais, pós-Graduação em Economia Brasileira: prioridades, opções e directrizes, Pós-Graduação em Finanças Públicas e Empresariais, Pós-Graduação em Ciências Económicas e Empresariais. Mestre em Economia do desenvolvimento pelas Faculdades de Economia da Universidade Agostinho Neto e da Universidade de Coimbra – Portugal.

Curriculum político e associativo

Para além de ministro dos Transportes, já foi secretário de Estado do Sector Empresarial Público, vice-presidente da Comissão Económica do Conselho de Ministros, deputado da Assembleia Nacional, (1996/2007), ministro da Economia e Finanças, (1995/1996), governador Provincial de Cabinda, (1991/1995), entre outras funções.