INADEC justifica conta que provocou detenção da sua representante em Benguela

As investigações sobre a alegada má gestão dos fundos da direcção do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) em Benguela terão sido desencadeadas em 2016, no entanto, a Procuradoria-Geral da República (PGR) só decretou a prisão preventiva dos seus responsáveis . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta