A guerra suja nas redes sociais para chegar à presidência

A guerra suja nas redes sociais para chegar à presidência

Desinformação em massa nas redes sociais, acusações de manipulação do eleitorado e de financiamento ilegal pelo envio de milhões de mensagens para denegrir o adversário: a recta final da eleição presidencial no Brasil se tornou uma guerra sem quartel na Internet. A Polícia Federal investiga a disseminação de informações falsas contra Jair Bolsonaro, o favorito, candidato do PSL, e seu adversário, Fernando Haddad. O principal campo de batalha desta guerra é o WhatsApp, que tem 120 milhões de usuários num país com quase 210 milhões de habitantes.


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta