Comissão multisectorial cria sistema de drenagem para águas do Kilamba

A construção urgente de um sistema provisório de drenagem das águas residuais e pluviais provenientes da Centralidade do Kilamba, para escoar a água que inunda a via expressa, nos últimos dias, foi uma das conclusões a que chegou a comissão multi-sectorial que visitou hoje o distrito. A comissão, composta pelos ministros da Energia e Águas, João Baptista Borges, do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida e o Governador da província de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, esteve, hoje (quarta-feira), a analisar as principais causas e soluções imediatas para colmatar as inundações registadas na via expressa.
Para superar definitivamente o problema do escoamento das águas no referido distrito, prevê-se, numa segunda fase, a construção de um sistema de macro drenagem da bacia da centralidade, segundo o técnico da direcção de infra-estrutura urbanas do Ministério de Ordenamento do Território e Habitação, Nuno Brandão, que falava à imprensa no final da visita.
Disse desconhecer as causas ligadas a proveniência da água na via, o que obrigará uma reunião entre os quatro órgãos e o empreiteiro da obra, esta quarta-feira, com o propósito de fazer-se um estudo mais profundo da situação.
Questionado a cerca do conhecimento da carta de construção, o técnico afirmou que o ministério a que pertence tem o domínio de toda as redes técnicas construídas no âmbito da criação da cidade, sendo agora uma questão de pesquisa para detectar possíveis constrangimentos.
Quanto a criação do sistema de drenagem provisório, defendeu-se, disse tratar-se de uma acção urgente, possível de se concluir em um mês, ao passo que a definitiva é caracterizada por um prazo longo de execução.
Justificou que as obras são feitas de acordo com os recursos alocados e que os constrangimentos de ordem financeira não permitiram a conclusão em simultâneo dos trabalhos.