Carta do leitor:Matias merece o nosso respeito

Caro director, nem a Salú Gonçalves (S), nem o Matias Damásio (MD) lhes deve ser imputada responsabilidade pelo sucedido. O primeiro, pelo facto de tudo o que disse sobre MD o ter feito no exercícios da sua profissão, embora não tenha provado nada.

POR: Olímpio Rubem

O segundo porque não se lhe pode exigir uma interacçao com quem causou internamento de sua mãe e constrangimentos aos filhos na escola. Na verdade, faltou razoabilidade e houve incapacidade de gestão de conflito por parte da Nova Energia (NE), na medida em que no primeiro show, isto é, Sexta-feira, o músico disse: “se soubesse que SG era o apresentador nāo viria, mas como já cá estou, vou cantar, porém, amanhã e depois (Sábado e Domingo) se o apresentador nāo for substituido não venho”, pelos motivos supra referenciados. Ora, diante disso, a NE podia fazer uma de duas coisas: trocar o apresentador, ou comunicar com pelo menos 12h de antecedência o cancelamento do show com as respectivas justificação e consequente devolução dos valores. Só isso. A NE fez o mais difícil, ignorou as recomendações do artista, nada disse aos “showistas” e chegada hora do espectáculo, com os “chowistas” na sala, informa que o artista nāo apareceu, como se não soubesse que o artista nāo iria caso mantivessem o apresentador desde a noite anterior (Sexta feira). Se a NE optasse por uma daquelas soluções, provavelmente nem teríamos conhecimento deste infeliz acontecimento. Caro director, mesmo com a agenda apertada por causa dos Shows na diáspora, MD disse: assim que a NE considerar trocar o apresentador, remarcaremos os shows de Sábado e Domingo, ficando aqui evidente que existe muito boa-vontade por parte do artista. E mais, o acto de pedir desculpas e se mostrar disponível para a remarcarão dos shows nāo são característicos de uma pessoa mal-educacada. Portanto, quem desrespeitou o público não foi MD, até porque a sua origem humilde não lhe permitiria.