Comandante-geral anuncia criação de academia de Polícia

O comandante-geral da Polícia Nacional, comissário-geral Paulo de Almeida, anunciou, em Benguela, a implementação de reformas no sistema de ensino na corporação, com a extinção do Instituto Médio de Ciências Policiais da Baía-Farta e a sua transformação em Academia de Especialização de Polícia, em 2019

Citado pela ANGOP, Paulo de Almeida, que falava em conferência de imprensa no final da sua visita de 72 horas, nesta Sexta-feira, disse que o órgão que dirige é dinâmico, daí a criação de uma Academia de Polícia, visando formar efectivos em determinadas especialidades. O comandante-geral disse que a actividade desenvolvida pela Polícia nos dias de hoje transformou-se em ciência e que o défice de especialistas justifica a criação da academia.

Questionado sobre a possibilidade de ingresso de novos efectivos na corporação, o comissáriogeral disse que, face à situação económica do país, está condicionado o recrutamento de pessoal, adiantando que a corporação vai continuar a receber apenas efectivos provenientes das Forças Armadas Angolanas. Quanto à Operação Resgate que decorre em todo o país, Paulo de Almeida reafirmou que o seu objectivo é devolver o sentimento de segurança aos cidadãos.

“A Operação Resgate visa garantir a ordem e disciplina, melhorar a habitabilidade dos cidadãos para que possam exercer as suas actividades com legitimidade, legalidade e disciplina”, disse. Sobre o seu balanço, Paulo de Almeida disse haver sinais positivos, com manifestações de satisfação e esperança da sociedade, pois, o país precisa evoluir a todos os níveis, pelo que é imperativo desencorajar os mentores de más práticas, enfatizando que a operação não veio para dificultar a vida de ninguém. O comissário-geral aproveitou a oportunidade para exortar as autoridades locais para o bom desempenho destas forças da governação que visam dar solução a alguns problemas que enfermam a sociedade.

Além da cidade de Benguela, o comandante-geral da PN visitou os municípios do Cubal, Caimbambo e Lobito, para além do IMCP, na Baía-Farta. O comissário-geral visitou igualmente alguns pontos críticos no âmbito da operação, bem como manteve encontros com as autoridades locais e os presidentes dos conselhos de administração do Porto do Lobito, Caminho-de-ferro de Benguela, Empresa de Águas e Saneamento e ENDE.