Fiéis da IURD doam sangue para o hospital Geral de Benguela

Mais de 4 centenas de cidadãos, entre jovens e adultos, foram mobilizados Sábado último, 10, pela Associação Beneficente Cristã, órgão social da Igreja Universal do Reino de Deus, em Benguela, a participarem da campanha de doação de sangue para o banco do Hospital Geral de Benguela

Movidos pela “carência” deste importante líquido, que a maior unidade sanitária da província de Benguela tem registado, os dadores decidiram fazer face aos dados que são periodicamente divulgados pela imprensa, da direcção do banco de sangue.

O jornal O PAÍS sabe de fontes hospitalares que a hemoterapia do hospital central de Benguela tem uma necessidade diária de 500 litros de sangue, a julgar pelo número de intervenções cirúrgicas que são realizadas. Por isso, os fiéis da IURD foram sensibilizados a participar nesta corrente de doação de sangue, uma vez que se trata de uma atitude que salva vidas.

“É muito necessário, e estou ciente das dificuldades do hospital. Sempre que a igreja promove esta acção, estou disposta a participar”, disse dona Paulina Cula à nossa reportagem, na sede provincial da IURD, para onde se deslocou a equipa técnica do banco de sangue do HGB. Já Armando Ismael salienta que, dando um pouco daquilo que se tem, estar-se-á a obedecer a um princípio bíblico segundo o qual “amai ao próximo como a ti mesmo”.

O cidadão acredita estar a transmitir o seu amor a quem beneficiar do seu sangue, “sobretudo àquelas pessoas que não têm família que possam doar sangue por elas”, disse. A campanha é de âmbito nacional e visa “dimensionar o 43º aniversário da Independência”, que se celebra hoje, 11 de Novembro. Prevêem-se outras acções de doação de sangue ainda no decorrer deste ano: “Estamos a ver se em Dezembro vamos novamente ter doação de sangue”, informou o obreiro Félix Manuel, responsável da ABC em Benguela.

“Doar sangue é um gesto de amor”, sublinha o pastor João Capita, segunda figura na direcção da IURD em Benguela, para logo a seguir, e sustentando-se do “escudo” da palavra de Deus, destacar que “Jesus disse: Amai o próximo como a vós mesmos”, garantindo que acções do género hão de continuar.