Agostinho Kamuango é o novo secretário-geral da JURA

O ex-secretário geral da JURA, Alicerces Mango, viu-se derrotado pelo candidato Agostinho na primeira volta, obtendo 97 votos (27,8%) e na segunda, em que ficou com 161 votos (46,7%)

Texto de: Maria custódia

O militante Agostinho Kamuango foi eleito no último Sábado, em Luanda, ao cargo de secretáriogeral da JURA – braço juvenil da UNITA – no seu IV congresso Ordinário, com 187 votos, perfazendo 53,7%. Na primeira e segunda voltas o candidato número 05 no boletim de voto, Agostinho Kamuango, conquistou a simpatia dos delegados que tinham como missão votar na reeleição de Aly Mango ou apostar numa nova direcção. O vencedor, que sucede assim Aly Mango, disse, na ocasião, que o sentimento é de patriotismo e de responsabilidade, tendo apontado a luta para o bem-estar da juventude angolana como sua bandeira.

O ex-secretário geral da JURA, Alicerces Mango, viu-se derrotado diante do candidato Agostinho na primeira volta obtendo 97 votos, 27,8% e na segunda com 161 votos, 46,7%. Agostinho Kamuango, de 35 anos, natural da província do Bié e licenciado em Gestão de empresas, assegurou que nos quatro anos do seu mandato, 2018/2022, vai trabalhar pela unidade, coesão, cada vez mais, no seio da JURA e procurar ser uma mola impulsionadora das dinâmicas políticas juvenis em Angola.

“A sensação é mais de responsabilidade do que de alegria”, disse o vencedor, que considerou que houve um processo democrático no IV congresso ordinário. Defendeu que a UNITA desde sempre foi a pioneira da democracia e a JURA deu o seu exemplo com oito candidaturas.

O novo líder do braço juvenil da UNITA manifestou que a disputa entre si e Alicerces Mango foi democrática normal e, como sempre, tinha que vencer apenas um, considerando que o mais importante é estarem reforçados na perspectiva de juntos trabalharem para engrandecer a JURA e o partido em geral. Mensagem para a juventude

O candidato vencedor defende que a juventude deve lutar, permanentemente por causas nobres, mas que hoje a sociedade tem estado a aparentar comportamentos muitos negativos, sobretudo o imediatismo crescente cada vez mais no seio da juventude, que diz não ser o melhor caminho a seguir. “Nós vamos trabalhar no sentido de ajudar esta juventude a perceber que tudo na vida requer um esforço e sacrifício.

A Independência foi um facto graças à entrega dos melhores filhos de Angola que naquela altura eram jovens. Hoje, nós, jovens, temos uma responsabilidade cada vez mais acrescida de fazer com que esta nação angolana que queremos construir seja um facto”, disse Agostinho Kamuango.

Por outro lado, o ex-secretário- geral, que concorreu à sua própria sucessão, Alicerces Mango, o número 06 do boletim de voto, assegurou que o seu rival, com quem já concorreu no congresso passado, Agostinho Kamuango, é um bom concorrente, forte, um bom quadro, com quem pretende continuar a trabalhar. Acrescentou que foi um processo democrático que a JURA vem exercendo desde 2015, onde cada um que se revê nos requisitos que a comissão organizadora solicitar pode concorrer para a liderança.

“O ambiente foi de festa e salutar, o que recomendo para outras associações juvenis”, disse Alicerces Mango, que reconheceu ter cometido erros de ordem “natural” e tido algumas “questões de incompreensão” durante o seu mandato. O IV congresso Ordinário da JURA decorreu de 08 a 10 de Novembro, sob o lema “JURA, nova etapa, nova dinâmica para viRafael tória”.