Angola na Conferência das Nações Unidas sobre a Biodiversidade

Uma delegação chefiada pelo secretário de Estado do Ambiente, Joaquim Lourenço, representa o nosso país na 14ª Conferência das Nações Unidas sobre a Biodiversidade, que decorre desde Terçafeira última, 13, na cidade de Sharm El-Sheikh, no Egipto.

O evento que decorre sob o lema “Restauração e degradação do solo e do ecossistema: prioridades para o aumento da resiliência em África”, vai até 29 de Novembro e tem como alguns dos objectivos o apelo aos decisores de mais de 190 países presentes para intensificarem os esforços a fim deter a perda da biodiversidade e proteger ecossistemas e água para biliões de pessoas. A biodiversidade e a protecção do ecossistema ajudam na segurança e a saúde alimentar.

A conferência em causa cumpre hoje o período de abertura para negociações das partes da convenção, depois de nos últimos dois dias terem acontecido as reuniões dos segmentos de alto nível, que se seguiram aos trabalhos desenvolvidos por técnicos e especialistas no assunto em pauta. Os ministros de África estiveram reunidos em conferência, entre os quais mais de 30 ministros responsáveis para o Ambiente e outros sectores, bem como seis embaixadores, chefes de delegações e seus parceiros. Durante o encontro, os delegados discutirão sobre as prioridades da biodiversidade de África, acções estratégicas identificadas e oportunidades para aumentar o compromisso no combate à degradação do solo e intensificar a restauração do ecossistema.

Nesse encontro, os ministros adoptaram uma agenda de acção pan-africana relativa à restauração do ecossistema, concordando em construir um ímpeto para implementação do compromisso para coma biodiversidade. Durante a sessão de debates, os participantes na conferência analisaram o estado e tendências da degradação dos solos e do ecossistema em África e seus impactos na biodiversidade, serviços ecosistémicos e do bem-estar das populações. A Agenda de Acção Pan-Africana, aprovada durante a conferência, será submetida para adopção na Assembleia dos Chefes de Estado e de Governo da União Africana, na sua 32ª Sessão Ordinária, agendada para Janeiro de 2019.

Perspectiva-se que a referida

Agenda venha providenciar uma direcção estratégica para o restauro do ecossistema na região, promover a consciencialização em todo o continente e buscar suporte político para o reforço do restauro. Também é propósito do documento ajudar a acelerar e aumentar o compromisso e objectivos do restauro do ecossistema, assim como galvanizar sinergias e acções integradas no alcance destes compromissos e seus objectivos.