Detido suspeito ‘Rambo’ por crimes de guerra na República Centro-Africana

Um suspeito de crimes de guerra procurado por supostos assassinatos, deportação e tortura de muçulmanos na República Centro-Africana (RCA) foi detido e entregue a um tribunal na Holanda, afirmou a corte no Sábado. Milícias cristãs sob o comando de Alfred Yekatom, um membro do parlamento outrora apelidado de “Rambo”, foram acusadas por uma comissão de inquérito da ONU de praticar crimes de guerra e crimes contra a humanidade, visando a população muçulmana da RCA.

O Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu um mandado de prisão para Yekatom em 11 de Novembro “pela sua suposta responsabilidade criminal por crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos na RCA ocidental entre Dezembro de 2013 e Agosto de 2014”, afirmou o tribunal em comunicado.

“Yekatom foi entregue ao tribunal pelas autoridades da República Centro-Africana”, disse. Os juízes da corte dizem que Yekatom é suspeito de comandar cerca de 3.000 membros de um grupo armado que opera dentro do movimento Anti-Balaka, que estava a realizar ataques sistemáticos contra a população muçulmana.

“Ele é acusado de ser responsável por crimes cometidos neste contexto em vários locais da RCA, incluindo Bangui e a municipalidade de Lobaye, entre 5 de Dezembro de 2013 e Agosto de 2014”, disse o comunicado.

Entre as acusações constam, tratamento cruel, deportação, prisão, tortura, perseguição, desaparecimento forçado e recrutamento de crianças-soldados menores de 15 anos. Uma câmara pré-julgamento encontrou motivos razoáveis para acreditar que Yekatom cometeu os crimes ou foi responsável pelos crimes porque era um comandante militar.