Exposição itinerante “Escola ao Lado” chega a Luanda pela Galeria Movart

Depois de já ter estado em Londres (Inglaterra), a exposição itinerante “Escola ao Lado”, da autoria da artista portuguesa Rita GT, chega ao país, sob a chancela da galeria Movart

A primeira exposição individual da artista Rita GT em Angola arranca à próxima Sexta-feira, 23, pelas 18 horas, e fica patente ao público, até ao mês de Janeiro de 2018, na galeria Movart, em Luanda. De acordo com informações da galeria, “Escola ao Lado” surge através de uma série composta de lições itinerantes que desafiam e suscitam, ao mesmo tempo, esquemas de aprendizagem sobre o presente genuíno.

Com curadoria da investigadora Ana Cristina Cachola, o objectivo do projecto é desconstruir as hierarquias no dispositivo escolar e questionar a rigidez dos modelos actuais de produção e circulação do conhecimento. Performativa, expositiva, interventiva e recreativa: nesta “sua” escola, a estrutura de participação é horizontal, sem existência de hierarquias nem papéis fixos – o conhecimento constrói-se e está em aberto.

O projecto “Só Bumba na Chicala” será a lição número dois da série, e tal como tem vindo a ser habitual no percurso da artista, a exposição conta com a colaboração de outros artistas, neste caso, a escola informal do artista angolano Nelo Teixeira, o poeta e escritor José Luís Mendonça, a jovem artista Indira Grande, o Movimento Lev’Arte, o grupo de intervenção social Jovem Mwangolê, entre outros.

As transformações do Bairro da Chicala 2, onde Nelo Teixeira vive e trabalha, a herança do povo Axiluanda, a vivência do público e do privado, um tributo à escola de arte informal “Só Bumba”, serão algumas das questões em foco – e em discurso directo, como realça a curadora Ana Cristina Cachola. “Nesta escola todas as vozes são ouvidas”. Além do conjunto de obras que vão estar em exposição, e que foram criadas pela artista durante um período de trabalho na Chicala, a lição “Só Bumba na Chicala” vai incluir também um diversificado e inusitado programa de aulas/performances de poesia, carpintaria e Kuduro.

A artista

Rita GT nasceu na cidade do Porto, em 1980. A artista reside e trabalha há vários anos, entre Viana do Castelo e Luanda. A mesma é licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Tem, no currículo, dezenas de exposições individuais e colectivas, em Portugal e pelo mundo, e é internacionalmente uma das mais destacadas artistas portuguesas a reflectir sobre os temas da identidade e memória, género e colonialismo.

Entre outros assuntos ligados à sua carreira, destaca-se o facto de ter sido co-fundadora do colectivo E.studio Luanda, recebendo, em 2013, a bolsa Moving África atribuído pelo Goethe Institut, através da Wits University, em Joanesburgo, na África do Sul, e foi comissária do Pavilhão de Angola na Bienal de Veneza, em 2015, com curadoria do artista angolano António Ole.

Em 2017 foi uma das artistas fora do continente africano e a única de Portugal convidada a expor na 1ª Bienal de Lagos, na Nigéria. Nas suas obras, trabalha principalmente com cerâmica, instalação, performance, vídeo e fotografia e os seus trabalhos são descritos frequentemente como interventivos, subversivos e inconformistas.

error: Content is protected !!