Editorial: Declarações

João Lourenço, o Presidente angolano, deu uma extensa entrevista ao jornal Expresso em vésperas da sua visita a Portugal, o que se justifica pela importância que se quer dar a esta viagem, com a marcação de algum terreno nas negociações e também pela consciência da importância de Portugal na sua estratégia de diplomacia económica e de afirmação do país que pretende, sobretudo em aspectos como a diversificação da economia e da justiça, mormente na luta contra a corrupção e a favor do recambiamentos de capitais ilicitamente exportados.

Não se pode falar de corrupção em Angola sem se envolverem, também, mãos portuguesas, esta é a verdade. Mas muito da entrevista é para consumo angolano. E ainda falando de Justiça, o ministro da tutela, Francisco Queiroz, citado pela Lusa, falou do 27 de Maio de 1977 e do “cortejo” de mortes e arbitrariedades. Tirando o facto de a imprensa portuguesa gozar destes privilégios, este período de fim de ano está a ser politicamente interessante, o que antecipa boas perspectivas para o ano pré-autárquico de 2019