Mais de 20 mil pessoas mortas nas estradas nacionais

Em seis anos, 26 mil pessoas morreram em todo o país vítimas de acidentes de viação. Estes dados foram avançados, ontem, durante a abertura da 1ª fase da campanha Nacional de Sensibilização e Mobilização da Sociedade Angolana para o combate à Sinistralidade Rodoviária, organizada pela Direcção Nacional de Viação e Trânsito e o Ministério da Comunicação Social

Texto de: Stela cambamba

Entre 2011 e 2017 morreram, nas estradas do país, um total de 26 mil pessoas. No mesmo período, 100 mil pessoas ficaram feridas em acidentes rodoviários. Foram ainda registados mais de 30 mil atropelamentos, aproximadamente 7 mil capotamentos e mais de 22 mil colisões entre veículos.

Vista como uma preocupação nacional, o Ministério da Comunicação Social e a Direcção Nacional de Viação e Transito (DNVT) estão empenhados no combate à sinistralidade rodoviária e apelam para a veiculação desta campanha nacional que visa combater este problema de mortalidade a nível do país.

A abertura da campanha é feita numa altura em que se assinala o Dia Internacional em Memória às Vítimas nas Estradas, que, por norma, acontece no terceiro Domingo do mês de Novembro. A actividade está constituída em quatro fases, sendo que cada uma terá a duração de seis meses, perfazendo assim um período de dois anos.

“A primeira fase visa mobilizar a população e vai decorrer de Novembro de 2018 a Maio de 2019; a segunda fase, que visa sensibilizar, terá início em Junho de 2019 e termina em Novembro de 2019; a terceira, que tem como objectivo a prevenção, vai de Dezembro de 2019 a Maio de 2020 e a quarta, e última fase, com foco na educação, vai de Junho de 2020 a Novembro de 2020”, disse o superintendente- chefe António Pinduka, da DNVT.

O objectivo da campanha é envolver os automobilistas e a sociedade em geral, levandoos a assumir um compromisso para se conseguir alterar o comportamento, visando diminuir os acidentes e, consequentemente, o número de vítimas mortais. Esta redução terá como base as oito 8 principais causas de acidentes, designadamente o desrespeito ao limite de velocidade, a condução sob o efeito do álcool, a travessia em locais inapropriados, a condução de motociclos sem obedecer as regras de segurança, a não utilização do cinto de segurança, o estado de conservação da viatura e a apresentação dos documentos que o habilitem a conduzir.

A campanha está a decorrer sobre o lema “segurança rodoviária Somos todos nós”. Isto porque os acidentes rodoviários continuam a ser a maior causa de morte no país.

error: Content is protected !!