Adão Mussungo inaugura exposição em homenagem à “Dipanda”

A mostra, composta por 30 quadros de pintura, visa celebrar os 43 anos da independência, onde o artista pretende ainda levar à reflexão os momentos marcantes, através das obras que ilustram vários aspectos contribuintes para o acto.

O artista plástico Adão Mussungo procede amanhã, às 18 horas, à inauguração da exposição de quadros de pintura intitulada “Kizua kia Dipanda“ no edifício Kilamba, em Luanda. A mostra ficará patente até 15 de Dezembro e é composta por 25 obras produzidas em várias técnicas, como pintura a óleo, acrílico, veludo e mista sob tela, visando celebrar os 43 anos da Independência Nacional, assinalado a 11 do corrente. Em conversa com OPAÍS, o artista plástico realçou que pretende com a amostra levar à reflexão pictoricamente, por meio de pinceladas, momentos do Dia da Independência, através das obras que ilustram vários aspectos contribuintes para o acto, como o Acordo de Alvor e os aspectos relacionados com a proclamação da independência.

“São momentos que nos remetem a uma viagem até aos 43 anos de Independência. Para saudar os movimentos de libertação, os cidadãos que nas décadas de 50 e 60 se bateram com armas nas mãos, de corpo e alma, para libertar o país do jogo colonial, e conquistar a independência”, enfatizou. O artista plástico referiu que a presente exposição, por sinal a segunda individual, é de grande importância para si, pelo facto de ilustrar e levar à reflexão a importância da independência no país, e dos esforços feitos pelos membros dos três partidos políticos para a sua concretização.

eternizar a cultura através da arte Para o artista, passada esta fase, os momentos que marcaram o acto devem ser eternizados por meio de obras de arte, de modo a ilustrar a bravura para a sua concretização. Por esta razão, Adão Mussungo disse que o país é rico em patrimónios e diversidades culturais, tendo considerado as artes plásticas como produto e expressão da cultura, que constitui um campo ideal para o desenvolvimento e o simbolismo da independência“Com o substrato cultural comum, a arte é considerada como uma das mais importantes componentes da cultura numa sociedade tradicional, com herança do passado. É uma forma de trazer o conceito da história de Angola e de homenagear os heróis que lutaram para a independência do país”, observou.

O artista

Adão Mussungo é pintor, desenhador, ilustrador, curador-assistente e designer, formado em pintura pelo Instituto Nacional de formação Artística e em Ciências da Comunicação. Actualmente, é também coordenador da Brigada de jovens Artistas Plásticos (BjAP), da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP). já fez diversas exposições colectivas e individuais em Angola e em países como Itália, Portugal, Moçambique e África do sul. Entre as suas obras de maior destaque, encontra-se a pintura-mural patente no viaduto do Aeroporto 4 de Fevereiro, na capital angolana, cujo título é “Havemos de voltar”.