Raiva já matou 189 pessoas este ano

Até ao dia 10 deste mês, foram registadas 189 mortes por raiva. o Ministério da saúde de Angola apela, por isso, à população para que vacine os seus animais e os abriguem no interior das suas casas.

O Ministério da Saúde, preocupado com as 189 mortes por raiva registadas até ao dia 10 deste mês, apelou esta Segunda-feira à população para que vacine os seus animais e os abriguem no interior das suas casas. Numa nota a que a agência Lusa teve acesso esta Segunda- feira, as autoridades sanitárias angolanas apelam também aos cidadãos que comuniquem às autoridades veterinárias sobre qualquer comportamento anormal que se venha a notar em animais. De acordo com o documento, “a melhor forma de prevenir o mal causado pela raiva é evitar ser mordido por um animal infectado“.

A raiva é considerada um problema de saúde pública em Angola, afectando várias províncias do país, e devido ao facto de ser uma doença 100% mortal, que põe em risco a vida de muitas pessoas, especialmente crianças expostas à agressão de animais raivosos, particularmente cães, razão pela qual as autoridades pedem a colaboração da sociedade civil no seu combate e prevenção. Para o combate e prevenção a este mal, “que a todos afl ige”, são convocados, além das autoridades locais, os líderes comunitários e religiosos e a população em geral, “para dar destino adequado aos animais vadios ou aparentemente sem donos e a sensibilizarem os criadores de animais de estimação, potenciais vectores da raiva, para que cumpram efectivamente com as suas obrigações”.

Segundo as autoridades sanitárias, em caso de mordedura, as pessoas devem lavar abundantemente o ferimento com água e sabão e aplicar álcool, iodo, mercúrio ou outro desinfectante. “Não deve suturar ou tapar o ferimento e logo após os primeiros procedimentos, acorra imediatamente à unidade sanitária mais próxima”, apelam ainda. Em declarações à agência Lusa, em Outubro passado, o chefe de departamento de Higiene e Vigilância Epidemiológica da Direção Nacional de Saúde Pública, Eusébio Manuel, disse que a raiva continua a ser um problema que preocupa o Ministério da Saúde. Segundo o responsável, as províncias com maior incidência da doença são Luanda, Huambo, Bié, Benguela, Uíge e Cuanza Sul. Angola debate-se há vários anos com este problema, uma infecção viral mortal para seres humanos, transmitida através da mordida de animais infectados.