MPLA recomenda diálogo com médicos grevistas

A preocupação consta no comunicado divulgado ontem, em Luanda, no final da 9ª Reunião Ordinária, orientada pelo Presidente deste Partido, João Lourenço, tendo apelado às partes(Ministério da Saúde e os médicos)a aprofundar o diálogo, em busca de consensos, para que os caminhos da satisfação das reivindicações não signifiquem sacrifícios para as populações.

A reunião, que serviu para analisar assuntos relativos ao país e à vida interna do Partido, debruçou- se, no plano interno e da legislação, sobre temáticas relativas à institucionalização das autarquias locais em Angola. O Bureau Político aprovou a indicação do militante Luís Filipe da Fonseca de Sotto Mayor Pizarro “Nené Pizarro”, ao preenchimento de uma vaga existente no Comité Central, em obediência ao princípio de precedência e a candidatura do militante João Giordano da Silva Cristóvão, ao cargo de primeiro-secretário do Comité Provincial do Bengo da JMPLA.

Durante o encontro, foi ainda analisado um diagnóstico sobre o sector da saúde e o Bureau Político manifestou a sua preocupação face à greve dos médicos, iniciada segunda- feira, 19, tendo apelado ao respeito pela lei e encorajado o Executivo, através do Ministério da Saúde, a aprofundar o diálogo, em busca de consensos, para que os caminhos da satisfação das reivindicações não signifiquem sacrifícios para as populações.

No que respeita à Operação Resgate, em curso no país, o Bureau Político do MPLA denunciou o propósito de indivíduos de má-fé tentarem adulterar o motivo da sua realização e encorajou o Executivo para, através dos meios e mecanismos de que dispõe, prosseguir nessa acção histórica de reposição da ordem pública em todo o país, em defesa de uma vida melhor para todos os angolanos.