Três mobilizadores do Partido Presidencial (PPRD) decapitados em Dibaya

Três membros do Partido Popular para a Reconstrução e Democracia (PPRD), no poder, foram decapitados em 21 de Novembro no sector de Dibatayi, 90 Km a Oeste de Kananga, em território Dibaya, apurou o NEWS. CD esta Quarta-feira

A notícia chegou a Kananga, capital do Kasai Central. Familiares de uma das vítimas confirmam a morte por decapitação do seu pai. “O nosso pai e dois outros amigos deixaram a missão Tshikula, de moto, Sexta-feira, 16 Novembro de 2018, em campanha a favor do vice-candidato nacional do PPRD, Richard Ilunga Ntumba. Eles foram parados na aldeia de Kabeya Lumbu por uma milícia liderada por Tshiyoyo.

Perguntaram-lhes por que eles estavam vestidos com camisetas com a imagem de Shadary e a insígnia da PPRD. Sem esperar pela resposta, eles foram levados para o mato, onde foram decapitados.Quando recebemos informações, fomos à cidade de Kabeya Lumbu à procura do corpo, mas sem sucesso. Aldeões confirmaram que eles foram mortos. No momento, observamos luto em casa, em Tshikula “, disse ao ACTUALITE.

CD, em lágrimas, David Mputu, filho mais velho de Martin Bazin Tshibasu, uma das pessoas mortas. O vice-candidato nacional do PPRD, Richard Ilunga Ntumba, confirmou a morte de três pessoas e atribuiu-a a milicianos refractários no processo de paz. “É trágico o que aconteceu. Os três foram recrutados como mobilizadores do nosso partido. Milicianos refractários no processo de paz estão na base destas mortes. As investigações estão em andamento para encontrá-los”, respondeu Richard Ilunga Ntumba. O chefe do sector Dibatayi fala sobre o desaparecimento de três sensibilizadores do partido presidencial.

“Eles estão em falta. Até encontrarmos os seus corpos, eu acredito que eles foram sequestrados”, disse Crispin Mulumba em Djonyi, no sector de Dibatayi. Na Terça-feira, o governador de Kasai Central, Denis Kambayi Cimbumbu, membro do PPRD, durante uma reunião fez apelo à população de Dibaya para cultivar a paz.“Convido a população a ir às urnas de forma esmagadora e a votar em Emmanuel Shadary como Presidente da República”, disse ele. A campanha eleitoral foi oficialmente lançada nesta Quarta-feira em Kinshasa, pelo presidente da Ceni.