Documentário sobre o edifício do “Museu de Antropologia” será mostrado em Luanda

A iniciativa é do Centro de Estudos e Investigação Científica de Arquitectura da Universidade Lusíada de Angola (CEICA) em cooperação com a Embaixada da República Federal da Alemanha, a Embaixada da França, o Goethe-Institut Angola e Alliance Française de Luanda

A nova edição do projecto Património Vivo, que vai apresentar um documentário sobre o edifício do Museu Nacional de Antropologia, terá lugar no dia 30 de Novembro, a partir das 16 horas, no Centro Cultural Brasil-Angola (CCBA). O documentário tem por objectivo valorizar a importância histórica e arquitectónica do edifício classificado como Imóvel de Interesse Público hoje com a função de Museu Nacional de Antropologia.

Este imóvel, que devido à sua arquitectura também foi designada de “Casa Nobre”, foi construído no século XVIII, tendo sido a casa senhorial e escritório de um comerciante português. Actualmente é um dos poucos edifícios restantes da cidade antiga, que ainda podem ser vistos no centro histórico de Luanda. A apresentação do documentário é o terceiro evento do projecto Património Vivo, iniciado e realizado pelo Centro de Estudos e Investigação Científica de Arquitectura da Universidade Lusíada de Angola sob a direcção científica da Professora Dra. Susana Matos.

Este programa tem um compromisso traçado que é o de homenagear o Património Cultural de Luanda. Esta dedicação é não só uma demonstração de reconhecimento mas também um bom pretexto para divulgar e sensibilizar a comunidade para a importância em viver o património encarando-o como pertença de todos. O evento será aberto pelo embaixador da República Federal da Alemanha, Dirk Lölke, e pelo embaixador da França, Sylvain Itté.

Na sequência da apresentação do documentário feitapela directora adjunta do CEICA e coordenadora do projecto Património Vivo, a arquitecta Susana Matos e o grupo musical Nguami Maka fará uma apresentação musical com instrumentos tradicionais expostos no Museu de Antropologia. O evento será grátis e aberto ao público. As primeiras duas edições do projecto apresentaram a história do edifício Grande Hotel Luanda (hoje o Centro Cultural Brasil Angola) e o edifício da Liga Nacional Africana.

error: Content is protected !!