CEAST reconhece esforços do Executivo mas pede mais em prol das famílias

Para Dom Manuel Imbamba, a classe política ainda não se reencontrou e tem ainda muito trabalho pela frente, devendo primar por colocar os interesses da Nação acima dos pessoais priorizado o diálogo como forma de se encontrar consenso sem o qual seria uma ameaça à estabilidade nacionalorganização, decorrida no Dubai

Os bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe (CEAST) afirmaram ontem, em conferência de imprensa, reconhecer e apoiar os esforços a serem feitos pelo Executivo angolano com vista a reposição da ordem, legalidade, moral pública, disciplina e o convívio plural e harmonioso entre os cidadãos.

Este pronunciamento foi feito pelo vice-presidente da CEAST, Dom José Manuel Imbamba, quando procedia a leitura do comunicado de imprensa que espelham as conclusões e recomendações da II Assembleia Plenária Anual decorrida de 19 a 23 de Novembro, na capital angolana. Segundo Dom Manuel Imbamba, os bispos apelam, entretanto, que neste processo e em quaisquer circunstâncias nunca se perca de vista a salvaguarda dos direitos humanos. Entretanto, os prelados lamentam verificar que as famílias ainda continuam aflitas por falta de respostas rápidas aos variados problemas com que se debatem.

“A saúde mantém-se enferma, o poder de compra dos cidadãos continua a quem do desejado, as intrigas políticas e pessoais tendem a usurpar e distrair os interesses e as urgências da Nação”, sublinha. Neste contexto, apelam para que, sobretudo, entre os políticos se mantenha vivo o espírito de diálogo, entendimento e busca comum de soluções plausíveis para o bem da Nação, da unidade, da reconciliação nacional e da paz e entre todos e que reine o espírito de tolerância, respeito e serenidade na expectativa de dias melhores.

Para Dom José Manuel Imbamba, a classe política ainda não se reencontrou e tem ainda muito trabalho pela frente, devendo primar por colocar os interesses da Nação acima dos pessoais priorizado o diálogo como forma de se encontrar consenso, sem o qual seria uma ameaça à estabilidade nacional. A II Assembleia Plenária Anual aprovou como mensagem pastoral “Jovem e a fé celebrada” para o segundo ano do triénio e a nota pastoral sobre a música sacra, o relatório económico da CEAST e o orçamento para 2019. No mesmo fórum foi reeleito como presidente da CEAST Dom Filomeno do Nascimento Vieira Dias, arcebispo de Luanda; vice-presidente, Dom José Manuel Imbamba, arcebispo de Saurimo; secretário- geral, Dom António Francisco Jaka, arcebispo de Benguela; secretário geral adjunto e Dom Dionísio Issilenapo, arcebispo do Namibe.