Edmázia Mayembe e Bruna Tatiana protagonizam noite “romântica” no palco da Casa 70

O trinómio “romance”, “beleza” e “feminilidade” juntaram-se ao carisma das vozes de Edmázia Mayembe e Bruna Tatiana, em mais um concerto inserido no projecto “Duetos N’Avenida”

Sob a chancela da Zona Jovem Produções, a Casa 70 acolhe esta noite mais uma edição do projecto “Duetos N’Avenida”, cuja responsabilidade recai para as cantoras Edmázia Mayembe e Bruna Tatiana. Chegou o chamado dia “D”. As cantoras mostram-se preparadas para mais um desafio da suas carreiras, que servirá para celebrar o amor e o ritmo envolvente entre as duas intérpretes da nova vaga da música moderna angolanas da actualidade.

Como é praxe do projecto, está garantido que elas irão cantar músicas uma da outra, com versões inovadoras de hits que vão deixar os espectadores e sobretudos os casais em suspiro. Segundo a cantora Bruna, um figurino especial vai abrilhantar ainda mais as divas na apresentação que vai contar com dois momentos. “Teremos duas partes no concerto, uma mais dançante e outra mais intimista, já que o espaço da Casa 70 tem este estilo”, segredou a cantora dona do hit “Meu Tudo” e “Onde está lá fiesta”, ambas muito admiradas pelo pelos seus seguidores.

Por sua vez, Edmázia Mayembe mostra-se empolgada com a apresentação e revela que já conhecia a Bruna, mas só agora conseguiu manter um contacto mais directo. “Estou muito ansiosa para o dia. Já nos conhecíamos mas o contacto mesmo a 100 % foi agora e está a ser muito bom! Graças a Deus existe uma química entre nós”, revelou a cantora. Edmázia considera a parceria no palco algo de extrema responsabilidade e que estará pronta para dar o melhor de si ao público. “Vamos cantar músicas novas e antigas, estamos a preparar um show bonito para todo o público que lá estiver”, antecipa.

Organização

Desde o início do projecto que já havia a intenção de apresentar-se uma dupla feminina como uma forma de homenagear às intérpretes da música angolana. A explicação é de Figueira Ginga, produtor e mentor da iniciativa. Daí ter idealizado, em apostar na jovialidade e irreverência das duas cantoras como sendo ideal. “Elas cantam zouk e ambas têm a inclinação para cantar o amor. Por isso, anseio por uma noite de muito romantismo e as artistas estão empenhadas para este espectáculo”, ressaltou.

A direcção artística do projecto é liderada por Chalana Dantas, que está atento e cauteloso ao fazer a proposta para que o reportório das divas vá de encontro às expectativas do público, sempre a aproveitar os maiores sucessos de cada uma. “Tem sido muito fácil trabalhar com esses dois grandes talentos. São muitos hits, então, fomos em busca dos maiores sucessos de ambas e preparamos um reportório especial”, destacou o director, que também encontrou facilidade na escolha dos instrumentistas. “São nove músicos e uma parte já trabalhou com a Edmázia e outra parte já trabalhava com a Bruna, então a interacção e sincronia estão a fluir no caminho que preconizamos”, realçou o também percussionista Chalana Dantas.

Continuidade

O projecto não pára depois da apresentação destas duas senhoras. O “Duetos N’Avenida” prosseguirá com a sua programação dia 8 de Dezembro com o duo Paulo Flores e Yuri da Cunha, dois ícones da música popular angolana, a fim-de encerrar a primeira temporada da iniciativa. “É a última edição de 2018, mas a produtora Zona Jovem trabalha para a continuidade do projecto em 2019. A nossa pretensão é continuar, porque já temos a certeza de que o projecto veio acrescentar qualidade ao nosso mosaico cultural”, destacou Figueira Ginga. Saliente-se que, o projecto “Duetos N’Avenida”, uma iniciativa da Zona Jovem Produções tem vindo a movimentar mensalmente o palco da Casa 70. Essa será a primeira dupla feminina a compor este projecto, que já contou com as presenças de Eduardo Paim e Maya Cool (22 de Setembro) e Puto Português e Patrícia Faria (25 de Agosto), tendo sido postergado o de Euclides da Lomba e Gabriel Tchiema em Outubro por incompatibilidade de agenda.

error: Content is protected !!