Controvérsia: A exposição verdadeiramente não-autorizada de Banksy

Um tribunal belga impediu que as obras do artista fossem expostas. O enredo desta história é quase uma obra de arte em si mesma. Entretanto, a exposição é feita com obras de arte que pertencem a um terceiro protagonista: Steve Lazarides. Este ex-galerista afirma ser o dono da arte

Banksy é um artista de rua, com princípios conhecidos. Um deles, como o próprio lembra repetidamente, é não cobrar qualquer bilhete pela exposição das suas obras. Seria difícil, uma vez que a sua arte ocupa o espaço público. Por isso, a exposição que se preparava para abrir em Bruxelas, num supermercado abandonado da capital belga, tinha no título a expressão “não-autorizada”.

Por um lado, porque o artista, de facto, não a autorizou. Mas um tribunal decidiu na Quinta-feira à noite que havia outras autorizações em falta.

A decisão do tribunal belga foi cumprida de imediato: arrestar as obras de arte, no valor de 15 milhões de euros, e transportálas para um “sítio desconhecido seguro”, relata o The Guardian.

O destino final das obras será decidido numa nova audiência judicial, em Janeiro.

O advogado dos elaboradores da exposição, uma organização sem fins lucrativos belga, explicou ao The Guardian que isto é “uma história maluca”. Stanislas Eskenazi, o advogado da Strokar Inside, conta que a exposição foi sugerida por uma empresa alemã, a On Entertainment, que tinha acabado de realizar a mesma exposição em Berlim.

O problema é que a exposição é feita com obras de arte que pertencem a um terceiro protagonista: Steve Lazarides. Este ex-galerista, que terá sido o primeiro a revelar a importância das obras de Banksy, afirma ser o dono da arte. E através dos seus advogados tentou reaver as obras, alegando que a empresa alemã não tinha qualquer direito de as transportar de Berlim para Bruxelas.

Temendo o risco de ser apanhada no meio de uma disputa milionária, a Strokar Inside, belga, pediu ao tribunal que avaliasse a disputa. Foi assim que surgiu a decisão de arrestar as obras de Banksy, incluindo o famoso desenho de uma menina largando um balão vermelho. Banksy, por seu lado, manteve os princípios.

Quando a mesma exposição esteve em Moscovo, com preço de entrada de 25 euros, escreveu no Instagram: “O que raio vem a ser isto?” Quando lhe pediram para que tentasse evitar que o ex-galerista Steve Lazarides se tornasse dono das suas obras, Banksy respondeu: “”Hmm – não acho que eu seja a melhor pessoa para criticar alguém que exibe imagens sem ter autorização.” Fonte: Diário de Notícias