Procura por bilhetes “força” a realização de três concertos de Paulo Flores e Yuri da Cunha no projecto Duetos N’Avenida

A procura de bilhetes para ver actuar Paulo Flores e Yuri da Cunha, no projecto “Duetos N’Avenida”, obrigou a que a organização ampliasse o concerto, ao invés de um, como inicialmente previsto, serão realizados três espectáculos, em três dias seguidos

Assim, o palco da Casa 70 acolhe entre os dias 6 e 8 de Dezembro, o último espectáculo da presente temporada, que tem como cabeça de cartaz os músicos Paulo Flores e Yuri da Cunha, inserido no projecto Duetos N’Avenida, uma iniciativa da Zona Jovem Produções. “Decidimos estender e abrir mais dois dias, devido à procura dos fãs, que esgotaram a primeira data em tempo recorde, e a segunda também”, explica Figueira Ginga, director da Zona Jovem Produções e mentor da iniciativa. Para o responsável, esta é uma mensagem clara deixada pelo público.que desde já representa “a aceitação ao projecto, além da aprovação da escolha deste dueto em particular”.

Figueira Ginga, instado a fazer a um pré-balanço do projecto, considera como sendo até ao momento positivo, porquanto têm conseguido com algum sucesso realizar as actividades marcadas, embora tenha ocorrido o cancelamento de um concerto, ainda assim vale a pena prosseguir com a aposta. “Temos estado a ganhar espaço no horizonte cultural, conseguimos concretizar alguns dos objectivos, temos conseguido captar a atenção dos artistas e do público e aos poucos vamos também conseguindo cativar empresas a abraçar os duetos e torná-lo sustentável. Os Duetos N’Avenida já deu muito certo”, enfatiza o produtor com entusiasmo.

O sucesso dos três shows realizados pela Zona Jovem dentro do projecto Duetos N’Avenida e a força dos nomes dos dois artistas que encerram essa primeira temporada – Paulo Flores e Yuri da Cunha, explicam a razão para uma grande mudança na agenda. Último concerto No último Sábado, 24, Bruna Tatiana e Edmázia deram continuidade ao Duetos em apresentação numa Casa 70 lotada de fãs. Mais uma vez, como ocorreu nos shows das duplas Puto Português- Patrícia Faria e Eduardo Paim-Maya Cool, a dupla feminina deixou uma mensagem de plena integração e entusiasmo em dividir o palco com um colega da música num show conceitual e de raiz.

“Para os artistas tem sido uma experiência super-interessante. Temos recebido um feedback muito positivo , pois acabam por criar uma cumplicidade musical, ganhar mais experiência, saindo da sua habitual zona e navegando por outros ‘mares”, completou. Outros projectos A ideia de uma segunda temporada em 2019 é já uma realidade, segundo a Zona Jovem, que irá escolher outros sítios. Outra ideia que será posta em prática, já nessa primeira temporada, é a realização de apresentações em ambientes corporativos. “Serão shows intimistas e por isso adaptáveis a diferentes palcos e plateias”, finaliza. A ideia do projecto, concebida pela Zona Jovem Produções, é o de valorizar a música angolana, convidando ao palco intérpretes das mais variadas vertentes para apresentações de artistas consagrados individualmente e dispostos à criação em dupla de um show de raiz.