De olho em 2019, Rádio Mais celebra 10º aniversário e assume novos desafios

Entre as várias dificuldades vividas durante o percurso, os profissionais de uma das rádios líder de audiência consideram-na um projecto de sucesso e um vector importante na divulgação de factos no país

A Rádio Mais, emissora comercial de vertente generalista do grupo Media Nova, celebrou ontem o seu 10 aniversário com olhos virados para novos programas que serão implementados em 2019, com vista a melhor servir a sociedade. A revelação foi feita pelo director da estação, Paulo Gomes, à margem do almoço de confraternização que serviu para celebrar a data onde participaram os profissionais da casa, do Jornal OPAÍS, TV Zimbo e outros convidados da sociedade que coloriram o pátio com t-shirts brancas timbradas com a inscrição dos 10 anos de existência.

Segundo Paulo Gomes, a Rádio Mais é hoje um projecto de sucesso e um vector importante dentro do sistema nacional de informação desde a sua implantação e crescimento, fazendo a ponte entre quem governa e quem é governado. Paulo Gomes anunciou a entrada de novos programas e melhoria dos que já existem e novas vozes a partir de Janeiro de 2019. “Vamos desafiar a audiência e procuraremos ser os melhores sendo diferentes”, disse.

Compromisso com a educação

A educação da sociedade é uma das principais preocupações da estação que se tem traduzido principalmente na mudança de comportamento de muitos cidadãos que ligam a estação nas primeiras horas do dia. Este ano foram realizados dois concursos infantis, um de redacção sobre rádio e outro de xadrez, com a participação de mais de 90 crianças, cujo vencedores foram premiados por ocasião da celebração. “Há muitos concursos de dança e música, mas no final o que se aproveita dali é muito pouco para construirmos uma sociedade sã. Por isso, a Rádio Mais faz este trabalho com as crianças para multiplicar este efeito positivo a outros cidadãos”, disse.

Profissionais distinguidos

Jorge Gomes é um dos nomes sonantes da estação com o seu programa “Grande Informação” a liderar a audiência nas manhãs de Segunda a Sexta-feira. Para ele, são 10 anos de história percorrido com vontade, apesar das dificuldade encontradas ao longo do percurso. Man Gomito, como é carinhosamente chamado, foi um dos seis premiados da tarde. Disse que o sucesso do colectivo de trabalhadores foi fruto de muito profissionalismo, disciplina e responsabilidade. Entretanto, com vontade de fazer sempre mais e melhor. “Tenho recebido críticas construtivas que nós abraçamos, mas aqueles que servem apenas para destruir colocamos de parte”, disse, tendo destacado as contribuições que tem recebido dos ouvidos que muitas vezes são as fontes dos temas debatidos.

Com quatro anos de casa, Emílio José é um dos mais jovens jornalistas da estação que graças ao seu empenho tem-se destacado como um dos mais promissores repórteres da Rádio da Nova Angola, conquistando os prémios de melhor repórter da estação em 2015 e 2016. Emílio José, que ontem recebeu a terceira distinção, será produtor de vários programas que serão emitidos, tendo-se mostrado satisfeito com os êxitos até aqui alcançados. “Tenho muitos projectos pessoais e com a empresa, na área da comunicação para o próximo ano, e darei o máximo para que os ouvintes tenham o melhor para consumir”, realçou. Vicente Costa, Iracelma Arnaldo, Jó Francisco e Viegas Filipe foram os outros premiados do dia.

Cidadãos dão nota positiva

Muitos cidadãos ouvidos por OPAÍS, consideram a Rádio Mais, um veículo importante na educação da sociedade, como frisou João José , realçando que todas as manhãs fica sintonizado à 99.1 em FM. Kuenda Gabriel, taxista há 10 anos, disse que já influenciou na mudança de rota evitando engarrafamentos em muitos troços. “Muitos taxistas cometiam na via, mas por causa dos conselhos e chamadas de atenção do Man Gomito mudaram de comportamento”, disse.. Importa frisar que um estudo de audiência, realizado recentemente pela empresa Marketest, indica que a estação lidera a audiência nos programas da manhã nas províncias de Luanda, Benguela, Huila e Huambo.