Editorial: É preciso ouvir

Não se sabe até quando o preço do barril de petróleo se manterá em baixa para aquilo que são as necessidades angolanas. A verdade é que o Orçamento que o Governo submeteu à Assembleia Nacional conta com um preço superior ao actual. E Angola não tem ainda alternativas. Neste jornal e na Rádio Mais, o economista Yuri Quixina já havia alertado para os riscos daquilo que considerava de exagerado optimismo do Governo. Por outro lado, começam a surgir preocupações quanto à resposta dos países onde se supõe que estejam depositadas fortunas ilegais saídas de Angola. A ideia é ninguém repatriará o dinheiro de ânimo leve. O dinheiro líbio é só um exemplo. E nem se pode considerar que fosse de todo ilegal. Talvez seja hora de se agregar novas abordagens além da coerção e da ameaça.