“Modangola” convida empresários a investir no sector têxtil

O certame visa promover a indústria têxtil e de confecção produzida no país, contribuindo para o fomento no sector de produção de roupas, calçados, acessórios e outros artigos de moda nas pequenas e medias indústrias

Cerca de 13 estilistas e 60 modelos participam na VI edição do “Modangola”, um evento a realizar- se em Dezembro (9), no hotel Epic Sana, em Luanda, sob o lema “Ouro Negro Século XVI”. Os estilistas presentes nesta edição do evento são provenientes das províncias de Luanda, Benguela, Cuanza-Sul, Bengo, Malanje e Huila. Alguns destes artistas farão a sua estreia no mundo da moda, por via desta iniciativa sob a chancela da agência de Tussole Models. Em conversa com este jornal, o coordenador do evento, Daniel Peres, referiu que pretendem com o presente tema despertar a atenção dos empresários, assim como levar a reflexão sobre a importância da indústria da moda no país.

Daniel Peres realçou que a indústria da moda, composta pelo sector de produção e cultivo, têxtil e de confecção, necessitam de investimento. ”Não temos empresários concentrados nessas indústrias. Queremos que eles olhem para o investimento da indústria têxtil, para fazermos de facto a moda no país”, observou. O coordenador do evento reconheceu a presença no país de fábricas de produção de tecidos, a Textang, por exemplo, mas referiu que confeciona sargas e não tecidos tipicamente africanos. Disse ainda que os tecidos produzidos com algodão, continuam a ser importados. Por esta razão, considerou esta situação imprópria, pelo facto de anteriormente o nosso país ter sido o maior exportador de algodão. ”A nossa grande preocupação no que concerne o Modangola é o de despertar a atenção dos empresários para o sector da moda. Ouro Negro, na vertente da indústria da moda faz parte da nossa riqueza, porque o nosso país já dependeu de cizal, café e algodão”, apontou.

Novos talentos

Nesta edição do evento, à semelhança do que aconteceu em edições anteriores, haverá a estreia de novos talentos, tanto estilistas como modelos. Daniel Peres salientou que este passo, visa dar oportunidades aos novos criadores de moda e modelos, de maneira a incentivá- los para que continuem a inovar com as suas criatividades. ”São novas tendências e precisam de apoio. Todos os que fazem moda no país passam pelas mesmas dificuldades. É necessário que nos apoiemos uns aos outros, porque não temos uma associação a favor dos estilistas”, lamentou. Com a realização do evento, de acordo Daniel Peres, noventa por cento dos estilistas e modelos participantes têm estado a ganhar mercado, notabilidade e respeito. Por isso, considera o Modangola, como sendo um evento aberto, de promoção e fomento da indústria têxtil no país. ”Essa é a nossa maior alegria. Queremos com o evento fazer com que os estilistas, os novos talentos entrem para o mercado”, finalizou.

O evento

O Modangola é um evento de moda que visa a promoção e fomento da indústria têxtil e de confecção produzida no país, contribuindo para o fomento no sector da produção nacional de roupas, calçados, acessórios e outros artigos de moda nas pequenas e medias indústrias. Pretende-se com o evento estabelecer como o espaço privilegiado de promoção da Industria Têxtil, com sucesso, profissionalismo, reconhecimento público, lançamentos novos talentos no sector e criar parceiras com todas as entidades públicas e privada que venha a colaborar técnica e institucionalmente para o êxito deste evento de periodicidade anual.