A revolução verde de Madrid: o centro da capital espanhola mudou ontem

Seis bairros da capital espanhola começam a respirar melhor, com proibição de entrada de carros anteriores a 2000 (gasolina) e 2006 (diesel). Trânsito deve diminuir 77%. Residentes têm até 2025 para trocar de automóvel

É proibido estacionar em Madrid esta segunda- feira por causa da poluição O centro de Madrid tem a partir desta Sexta-feira medidas muito apertadas de restrição ao trânsito, que apenas não se aplicam aos residentes e aos transportes públicos, no que é considerada uma medida histórica em Espanha para reduzir a poluição atmosférica e melhorar a qualidade do ar no centro da capital.

Todos os veículos a diesel anteriores a 2006, e a gasolina, anteriores a 2000 – exceção feita para os residentes, que têm até 2025 para mudar de automóvel para um poluente zero – estão bani dos desde ontem daquela zona central da cidade Além dos residentes e dos transportes públicos, apenas os veículos com zero emissões poderão circular livremente e estacionar naquela área, a partir de agora.

Inaugurado ontem, o Madrid Central, como se designa o plano rodoviário antipoluição da presidente da câmara madrilena, Manuela Carmena, abrange seis bairros, num total de 472 hectares – uma área idêntica às de 472 campos de futebol. Com ele a autarquia espera conseguir reduzir em 77% o trânsito naquela zona. A meta ambiental da medida é reduzir em 23% até 2020 o dióxido de azoto na capital. Os níveis elevados deste gás poluente nas cidades, que são causados pela circulação automóvel, estão ligados ao aumento das doenças respiratórias. Os bairros que integram o plano são Letras, Cortes, Embajadores, Ópera, Justicia y Universidad. Os 230 mil veículos que habitualmente entravam nesta zona da cidade passarão a ser apenas 76 mil, de acordo com os cálculos das autoridades.

error: Content is protected !!