UNITA participa em reunião da Internacional Democrática em Cabo Verde

O encontro deste ano incluiu reuniões do Comité Executivo e das assembleias Geral e regional da IDC África

Oitenta e cinco delegados de África, Europa, América e Ásia, entre as quais representantes da UNITA, participaram na ilha cabo-verdiana do Sal em mais uma reunião da Internacional Democrática do Centro (IDC). O encontro deste ano incluiu reuniões do Comité Executivo, da Assembleia Geral e regional da IDC África.

Na abertura da reunião, o presidente da IDC Africa, o primeiro ministro cabo verdiano, Ulisses Correia e Silva, ressaltou o facto de que, embora Cabo Verde não tenha recursos naturais tão significativos como certos países, orgulha-se por ter valiosos recursos como a estabilidade politica, social e securitária, confiança da comunidade internacional, liberdade, localização geográfica estratégica e capital humano qualificado.

A esse respeito, enfatizou a importância que o seu Governo dá ao capital humano como sendo um recurso muito importante, pois há países que mesmo tendo enormes e importantes recursos naturais não conseguem transformálos para servirem o bem-estar das suas populações.

A UNITA esteve representada no encontro pelo seu presidente, Isaías Samakuva, um dos vice-presidentes desta organização internacional e pelo deputado à Assembleia Nacional Alcides Sakala, que é secretário dos Assuntos Internacionais do “Galo Negro”. Segundo o comunicado da UNITA distribuído a OPAÍS, no encontro foram partilhados os valores e princípios da ideologia da democracia do centro.

Na agenda desta reunião predominaram os temas como a promoção e consolidação dos Estados democráticos, fundados na solidez de instituições políticas, judiciais e da sociedade civil.

Neste sentido, perante um mundo confrontado com a calamidade do terrorismo, do narcotráfico, da corrupção, das migrações e do tráfico de seres humanos, os partidos membros do IDC foram chamados a prestar maior vigilância no sentido de erradicarem comportamentos e atitudes que propiciem a instalação, nas sociedades, desses fenómenos que afectam a segurança, a paz, o desenvolvimento e o bem-estar das populações.

A reunião também analisou com profundidade várias situações que a África vive, inclusive o fenómeno da explosão demográfica, tendo apelado, a este respeito, no sentido de que os países africanos comecem a tomar medidas que venham proporcionar bens indispensáveis para facultar uma vida normal à população, em matéria de alimentação, habitação, saúde, educação.

A conferência aprovou também o relatório e contas da organização, os estatutos da organização da juventude, a proposta da criação da organização das mulheres filiadas nos partidos da Internacional Democrática do Centro, assim como o projecto sobre a criação de um instituto da organização.