Homenagem: Beyonce lidera line-up de estrelas no concerto de tributo a Mandela

Milhares de pessoas compareceram neste Domingo a um concerto em Joanesburgo para homenagear a vida de Nelson Mandela, com Beyonce a liderar uma formação de estrelas

O evento, que marcou 100 anos desde o nascimento do primeiro presidente negro da África do Sul, foi organizado pelo grupo de defesa Global Citizen. Também teve como objectivo destacar o combate à pobreza, desigualdade de género e fome, causas que Mandela defendeu. O presidente do Banco Mundial, Jim Kim, estava entre os vários líderes políticos e empresariais presentes no evento e anunciou um investimento de USD 1 bilião em Saúde e Educação em toda a África em 2019. “Be-yo-nce! Be-yo-nce! ”, Gritava um grupo de senhoras enquanto esperavam numa longa fila para entrar no estádio FNB de Joanesburgo, onde Jay- Z, Usher e Ed Sheeran também se apresentariam.

Milhares de fãs, alguns usando camisetas da Global Citizen e tatuagens temporárias nos seus ombros, aplaudiram, dançaram e choraram ao verem os seus artistas favoritos. Muitos fãs receberam bilhetes gratuitos em troca de assinar petições e enviar tweets para os líderes mundiais, instandoos a tomar medidas para melhorar a educação, abastecimento de água, saneamento, saúde e outras questões. O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, apareceu via link de vídeo e prometeu aumentar o orçamento educacional do seu país para 30% do orçamento total. Richard Branson, também através de um link de vídeo gravado, anunciou um compromisso de USD 105 milhões de doadores, incluindo a UK Aid, Virgin Unite e a Fundação Bill e Melinda Gates para acabar com o tracoma, uma doença que causa cegueira. “Eu sou de um bairro onde crianças pequenas que caem em latrinas na escola ou em casa são uma ocorrência comum”, disse Lucia Cele, especialista em tecnologia da informação à Reuters. “Então, ouvir esses compromissos em relação a questões como saneamento é muito encorajador para a nossa sociedade.

“Deixe os seus compromissos não terminarem aqui, hoje à noite neste estádio.”

O presidente-executivo da Vodacom, Shameel Joosub, prometeu 500 milhões de randes (USD 36 milhões) durante o evento para combater a violência baseada em género e melhorar o saneamento nas escolas e na alfabetização digital. Mandela foi preso por quase três décadas pela sua luta contra o regime do apartheid. Ele foi libertado em 1990 e levou a África do Sul a suas primeiras eleições livres em 1994. Ele morreu em 5 de Dezembro de 2013.

error: Content is protected !!