Zungueira protestam contra medida do Executivo

“João Lourenço fora, queremos Samakuva…”, gritavam cerca de uma centena de zungueiras que saíram às ruas de Luanda, ontem, em protesto à Operação Resgate, que está a ser levada a cabo pelo Executivo em todo o território nacional.

As vendedeiras ambulantes dizem ser essa a forma que encontraram para se manifestarem contra as acções que as estão a impedir de comercializar diversos produtos pelas capitais de províncias e municípios. Com a tonalidade de um hino religioso, cantavam e dançavam, em marcha, em direcção ao Palácio da Colina de São José, “João Lourenço, se prepara… As zungueiras estão a vir…” Lamentavam que com a Operação Resgate estão impossibilitadas de venderem nos mercados improvisados de rua, vulgarmente conhecidos por “arreou”, e, com isso, não estão a conseguir sustentar os seus filhos, pelo que estes “estão a chorar”.

Entretanto, a marcha das cidadãs, que são apelidadas como “heroínas de Angola do Século XXI”, foi travada por efectivos da Polícia Nacional nas imediações do Instituto Nacional de Luta contra a SIDA, a menos de dois quilómetros do Palácio Presidencial. Em declarações à Lusa, Antónia Domingos e Maldina Odete Félix, ambas vendedoras há 18 anos, afirmaram que apenas pretendem obter uma resposta ao pedido de as deixarem vender nos passeios durante o mês de Dezembro, uma vez que, caso contrário, voltarão Terça- feira para “invadir o Palácio”.

Questionada sobre o que farão se não obtiverem qualquer resposta oficial, a decisão é voltar de novo aos protestos, hoje. “Se não houver resposta, vamos voltar de novo. Nós vamos voltar, amanhã vamos vir de novo. Se não nos derem uma resposta hoje, vamos voltar amanhã. Vai vir muita gente e vamos invadir o palácio”, gritou, salientando que os produtos para venda foram confiscados pela Polícia.