1º de Agosto ‘cai aos pés’ do Otôho do congo-Brazzaville

Ontem, o 1º de Agosto, tri-campeão nacional, foi eliminado na segunda mão da primeira eliminatória de apuramento à fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões, ao perder diante do AS Otôho do Congo Brazzaville (2-0)

POR:Kiameso Pedro

Por força de dois golos marcados no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, o Association Sportive (AS Otôho) do Congo-Brazzaville deixou pelo caminho, ontem, o 1º de Agosto, que foi incapaz de controlar a eliminatória que estava sob a sua égide. Desde o início da contenda, o 1º de Agosto, estranhamente mostrou- se apático, com mais incidência para o capítulo defensivo que voltou a registar um certo apagão durante os 90 minutos. A parelha formada por Danny Massunguna e Bobó teve imensas dificuldades para ombrear com os avançados congoleses que imbuídos de “espírito de resiliência” foram superiores ante um 1º de Agosto que, na edição passada da competição, disputou a meia-final com os tunisinos do Esperance de Tunis.

Os anfitriões foram os primeiros a ameaçar a baliza à guarda de Tony Cabaça. O primeiro golo da partida surgiu nos minutos derradeiros da primeira parte, ao passo que o segundo nasceu ao cabo dos noventa minutos de jogo. Konte, jogador que já havia causado o “amargo de boca” ao 1º de Agosto foi o marcador de serviço dos congoleses. O técnico-adjunto do 1º de Agosto, Ivo Traça, dizia em tempos em declarações à imprensa, que o seu emblema tinha o principal objectivo que era o de marcar presença na final da prova, depois de na temporada passada não ter conseguido atingir o feito, por conta da actuação do árbitro zambiano Janny Sikazwe.

Mas, estranhamente, ao longo do encontro, os militares do Rio Seco não mostraram esse desejo. Durante a partida, disputada no Estádio Marien Ngouabi, os rubro- negros não tiveram arcaboiço para ultrapassar o Otôho do Congo e, com isso, marcarem presença na última eliminatória, pelo que teria de defrontar o Platinum do Zimbabwe. O sistema defensivo do Otôho apresentou fortaleza e não deu espaço de manobra. Recorde-se que no embate da primeira mão, os campeões nacionais tiveram de sofrer para vencer os visitantes, pela margem apertada de quatro bolas a duas. Com esta vitória, AS Otôho do Congo-Brazzaville, ”carrasco” dos militares, defronta na próxima eliminatória o Platinum do Zimbabwe.

error: Content is protected !!