Nguxi dos Santos aborda “TPA e outras Histórias” em livro

O produtor e realizador de televisão, Nguxi dos Santos, lança hoje, no mercado literário angolano, a sua primeira obra intitulada “TPA e outras Histórias”. O Centro de Produção de TV, no Camama, em Luanda, alberga a actividade

Trata-se da sua primeira obra literária em que o autor, Nguxi dos Santos, reunirá várias entrevistas com vedetas da Televisão Pública de Angola e fotografias antigas da TPA, época que marcou o seu percurso enquanto operador de câmara, produtor e depois realizador. As histórias assinadas pelo autor e por vários intelectuais e profissionais da casa reflectem o dia-a- dia da televisão, os constrangimentos e desafios narrados com alguma perspectiva de resiliência. O livro de 220 páginas, segundo ao autor, surgiu como uma transmissão do seu legado às novas gerações de profissionais de comunicação e um contributo para a história.

“Vários mais velhos estão a partir e precisamos antes disso, deixar o nosso testemunho para enriquecimento da história quer do ponto de vista social quer cultural”, disse o ‘dread Nguxi’, como é conhecido nas lides culturais. Entretanto, o autor da obra esclarece que não quer ser confundido com um escritor, uma vez que não o é, “apenas quis trazer entrevistas, seja de textos lavrados ou testemunhos recolhidos para contar a história da TPA”. “Seria heresia da minha parte olvidar companheiros que, olimpicamente, e quando o livro era ainda uma ideia, não regatearam na altura de estenderem a sua mão para que esta empreitada conhecesse vida”, reconhece Nguxi numa das passagens contida na obra.

Dentre os depoimentos e entrevistas que se pode encontrar na obra destaque para vários profissionais como José Luís Mendonça, Jomo Fortunato, Jorge Ntyamba, Amélia da Lomba, Orlando Rodrigues, Joaquim António Lopes “Farrusco” e tantos outros. A obra reflecte também “a história da Televisão Pública de Angola (TPA) que em alguns casos confunde-se com a história do audio-visual em Angola. Nguxi dos Santos reconhece o contributo dos medias na moralização da sociedade, na formação da opinião pública e alimenta um certo imaginário, de que modo se podem aproveitar as potencialidades da Televisão.