Tribunal francês aprova extradição de irmão do ex-presidente do Burkina Faso

Um Tribunal de Apelação de Paris aprovou na Quarta-feira um pedido de extradição do Governo do Burkina Faso para o irmão do ex-Presidente de Burkinabe, Blaise Compaore, disse uma porta-voz da corte na Quarta-feira.

A Polícia deteve François Compaore no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, em Outubro, com um mandado de prisão internacional relacionado ao assassinato, em 1998, de Norbert Zongo, que publicou o jornal Independent de Burkina Faso. O assassinato de Zongo, que investigava o assassinato de um motorista que trabalhava para François Compaore, tornou-se um símbolo de repressão durante o governo de 27 anos da Blaise Compaore, que terminou em 2014 nas mãos de uma revolta popular.

O advogado da Compaore, Pierre-Olivier Sur, disse que as acusações contra o seu cliente são motivadas politicamente por um Governo burquinabe incapaz de julgar Blaise Compaore, a quem o Governo da vizinha Costa do Marfim se recusa a extraditar. Blaise Compaore fugiu para a Costa do Marfim durante a revolta. Ele enfrenta um mandado de prisão internacional em conexão com o assassinato do ex-presidente Thomas Sankara, em 1987. Activistas estão a pressionar o Presidente Roch Marc Christian Kabore para buscar agressivamente casos de abusos de direitos humanos no passado. Críticos dizem que o seu Governo tem sido muito lento para se mover contra ex-membros do Governo, alguns dos quais servem no actual Governo.