PGR investiga mais de 50 crimes de corrupção

A Procuradoria Geral da república na Huíla está a instruir, desde Janeiro último, cinquenta processos por indícios da prática de corrupção nos sectores público e privado da província

Os referidos processos, na sua maioria resultantes de denúncias, serão encaminhados ao tribunal para tratamento, segundo o procurador da República junto do Serviço de Investigação Criminal (SIC) na Huíla, Adão do Nascimento. À margem de uma palestra sobre “o controlo preventivo como factor dissuasor da corrupção”, realizada nesta Sexta-feira, no âmbito do Dia Internacional do Combate à Corrupção (9 de Dezembro), informou que existem cidadãos detidos por suposto envolvimento em crimes de corrupção, quer activa como passiva, assim como em crimes de ordem conexa. Fruto de denúncias, de Janeiro a Outubro último, estavam a ser analisados 42 processos mas, em função do desmembramento de alguns processos, o número cresceu.

Por outro lado, o procurador Adão do Nascimento defendeu que o controlo da corrupção numa empresa, tanto pública como privada, passa pela aposta na rotatividade dos quadros no exercício de funções, realização de auditoria surpresa, eliminação de “grupos separados” e a existência de um programa de denúncia interno.

Para si, a dimensão objectiva do combate e controlo da corrupção compreende leis e instituições vocacionadas, tal como a Inspecção Geral do Estado, das Finanças, Tribunal de Contas, Assembleia Nacional, Procuradoria Geral da República, Polícia, entre outros, e recomendou o envolvimento de todos os cidadãos nesta tarefa que concorre para a moralização da sociedade. O 9 de Dezembro foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional do Combate à Corrupção