PRODESI garante fomento da diversificação da produção nacional

O governador da província do Cunene, Virgílio Tyova, afirmou ontem, Sexta-feira, em Ondjiva, que o programa de apoio à produção, diversificação das exportações e substituição das importações “PRODESI” vai permitir que os agentes económicos apostem mais no fomento e na diversificação da produção nacional

Falando na abertura da formação sobre o portal de produção nacional, promovida pelo Ministério da Economia e Planeamento, dirigido aos agentes económicos e administradores municipais, Tyova disse que o mesmo vai permitir aumentar a eficiência e a competitividade, promovendo a concorrência dos empresários e sua eficiência interna e externa.

Para isso, sustentou, é necessário que os empresários consigam produzir mais e de forma diversificada, diminuindo os riscos de uma cultura económica monoprodutiva e facilitar a integração de produtos nacionais nos mercados internacionais e regionais, com reflexos positivos no crescimento económico, na criação de empregos e na redução da pobreza. Virgílio Tyova admitiu que a concretização do PRODESI na província do Cunene vai garantir vantagens competitivas geoestratégicas dos recursos naturais existentes, da valorização do potencial pecuário, da utilização racional e sustentável dos recursos hídricos disponíveis e no apoio ao empresariado local. Por seu turno, o orador da formação, Dorivaldo Vicente, disse que Executivo desenvolveu ferramentas electrónicas para divulgação gratuita da produção nacional, no âmbito da implementação do Programa de Apoio à Produção Nacional, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações, com finalidade de promover a competitividade dos produtos feitos em Angola, por via do aumento do seu acesso aos consumidores finais.

De acordo com o formador, trata- se do Portal de Divulgação da Produção Nacional”, por meio do qual os produtores nacionais passam a ter disponível um meio de divulgação da produção feita em Angola, bem como foi criado o aplicativo móvel “Feito em Angola”, para que os consumidores e o público em geral possam ter acesso à informação da oferta dos produtos feitos em Angola. Esclareceu que o programa vai funcionar a três níveis, sendo o administrador regional que será eleito para ser o supervisor dos produtores de modo a evitar fraudes, um campo produtor onde vai expor os produtos disponíveis e o consumidor final. Dorivaldo Vicente disse que a intenção é melhorar o ambiente de negócios, incentivar o investimento, consolidar as infra-estruturas físicas, reforçar o capital organizativo e digital de Angola, capacitar e qualificar os recursos humanos, promover o estabelecimento de parcerias estratégicas, reduzir o tempo e aproveitar as experiências de países bem-sucedidos.