Venda de diamantes do Lulo inaugura nova política de comercialização do sector

o mês de Janeiro marca o arranque da implementação nova política de comercialização para o sector diamantífero, aprovada em Conselho de Ministros no dia 27 de Julho do corrente ano

A implementação da nova política de comercialização, que visa fomentar o investimento externo na prospeção e exploração, a instalação de fábricas de lapidação e obter maiores receitas para o Estado, decorre da aprovação, no dia 04 de dezembro, pelo Conselho de Ministros, do Regulamento Técnico de Comercialização de Diamantes Brutos que, na generalidade, põe fim ao monopólio da venda do mineral. Para dinamizar as receitas, está prevista, entre outras medidas, a introdução de modalidades alternativas de venda de diamantes, designadamente a venda por contrato (sights), a venda spot (tenders ou concursos limitados) e a venda em leilão.

Em Janeiro será realizada uma primeira venda spot (ou tender), na qual vão ser licitados sete diamantes de dimensões e de qualidade superiores provenientes da Sociedade Mineira do Lulo. Entre este conjunto, destaque para um diamante de 114 quilates (tipo Illa D-Colour) e um diamante colorido (rosa) de 46 quilates, ambos candidatos a um novo recorde para a indústria diamantífera angolana. Neste leilão, que se realizará na sede da SODIAM, empresa pública responsável pela compra, venda e exportação de diamantes angolanos, vão participar alguns renomados compradores de diamantes internacionais e referências da indústria de lapidação mundial, os quais vão ser convidados para o efeito também pela Sociedade Mineira do Lulo e pela Endiama.

Fonte da Administração da SODIAM EP adianta que esta acção visa “reforçar junto da sociedade civil e junto da comunidade empresarial o compromisso com a inovação e com a transparência na indústria diamantífera, por forma a que os investidores olhem para o mercado nacional e para os agentes do mesmo como parceiros privilegiados para o desenvolvimento de novos projectos”.

Esta atitude é ainda mais importante, reforça a mesma fonte, “porque o poder executivo está empenhado em transformar Angola num país cada vez mais aberto ao investimento estrangeiro e imbuído das boas práticas internacionais nas suas actividades empresarias e porque Angola é o 5º maior produtor mundial de diamantes em termos de valor, posição que pretende ver dinamizada e reforçada”.

A SODIAM E.P. é o órgão público responsável por todo o processo de comercialização (compra, venda, exportação) dos diamantes em Angola. Acumula esta função com a tarefa da aquisição pública de minerais estratégicos à luz da Nova Política de Comercialização.

Em Novembro de 2017 foi nomeada uma nova Administração liderada por Eugénio Bravo da Rosa como Presidente do Conselho de Administração. A implementação de boas práticas no mercado de comercialização de diamantes em Angola, a atracção de novos players internacionais, e a melhoria da contribuição fiscal do sector para o Estado Angolano são as grandes prioridades deste Conselho de Administração.