Adão de Almeida defende adequação da administração pública às exigências dos cidadãos

O governante apontou que se pretende, com a reforma da administração pública, a aproximação dos serviços às populações de modo simplificado, desmaterializado, modernizado e sem burocracia

O ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, disse ontem, em Luanda, que o país precisa de uma administração pública mais rápida, eficiente e que se ajuste às exigências dos cidadãos que, cada vez mais, exigem maior dinâmica e rapidez dos serviços prestados pelo Estado. Segundo o governante, actualmente a administração pública apresenta-se como lenta, conservadora, burocrática, pouco adaptada às exigências e aos desafios do momento e excessivamente centralizada e aquém da demanda dos cidadãos e das empresas.

Porém, com a recente realização da primeira reunião da comissão interministerial para a reforma do Estado, que aprovou, entre outros assuntos importantes, o roteiro e os eixos principais da reforma da administração pública, Adão de Almeida fez saber que nos próximos tempos vai se poder restruturar a máquina administrativa do Estado no seu modo de agir. De acordo com o ministro, pretende-se, com a reforma da administração pública, a aproximação dos serviços às populações de modo simplificado, desmaterializado, modernizado e sem burocracia.

Citando o discurso de investidura do presidente da Republica, João Lourenço, Adão de Almeida referiu que se pretende que a reforma da administração pública esteja centrada na simplificação de procedimentos e na valorização do capital humano de modo que permita reter os melhores quadros através de uma política virada para os domínios da formação, motivação, remuneração e carreira dos agentes e funcionários públicos. “Precisamos de reflectir sobre o procedimento administrativo para que a nossa administração não seja escrava do procedimento e da burocracia, mas sim uma administração capaz de adoptar modelos de gestão que privilegiem o resultado”, atestou o governante.

Adão de Almeida falava durante a realização da conferência nacional sobre os desafios da administração pública e fez saber ainda que é preciso que, no abito da reforma do Estado, se tire mais proveito das novas tecnologias de forma a prestar mais e melhores serviços aos cidadãos. Conforme esclareceu, é hora de se criar condições para que determinados serviços sejam prestados sem que o cidadão tenha necessidade de se deslocar fisicamente até à instituição prestadora. “Já é hora de diminuirmos a quantidade de papel com que ainda trabalhamos na administração pública. Já é hora de criarmos condições para que haja inter-operabilidade nos diferentes sistemas informáticos da administração pública para, com isso, facilitar a vida dos cidadãos”, apontou.

error: Content is protected !!