“Pérolas” africanas garantem presença na final do CAN

Amanhã, a Selecção Nacional sénior feminina de andebol, campeã africana, procura revalidar o título continental, ao defrontar a sua similar do Senegal, às 16:00

A Selecção Nacional sénior feminina de andebol, campeã em título, apurou-se ontem no Pavilhão de Nicole Oba, no Congo Brazzaville, para a final da 23ª edição do Campeonato Africano da modalidade (CAN) e a consequente qualificação ao Mundial’2019, no Japão após vencer por 25-16 os Camarões. Com esta vitória, as “Pérolas” africanas disputam amanhã a final diante da sua similar do Senegal, a partir das 16 horas (horário de Angola). Deste modo, o combinado angolano está a uma vitória de revalidar o ceptro conquistado em 2016, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, após derrotar, 36-17, a Tunísia.

Ontem, as pupilas de Morten Soubak não começaram da melhor maneira, porque as camaronesas entraram na máxima força e aproveitando-se do porte físico foram as primeiras a marcar. No segundo minuto, Angola acertou as suas linhas e controlou o jogo até ao intervalo e saiu a vencer por 15-8. No reatar, as angolanas não facilitaram a vida das camaronesas carentes de argumentos para evitar a derrota. Para chegar à final, a selecção do Senegal venceu, por 22-21, um golo vantagem, a República Democrático do Congo (RDC), ao intervalo já vencia por onze nove. Assim, as congolesas e as camaronesas vão disputar a consolação, quer dizer, o terceiro lugar da maior prova de andebol a nível de selecções.

Aremou Monsorou elogia Angola

O presidente da Confederação Africana de Andebol (CAHB), Aremou Monsorou, disse no Domingo, em Brazzaville, que Angola tem estado a tirar proveito dos investimentos feito em prol da modalidade, daí ser, há muito tempo, a principal referência em África. O beninense sublinhou o potencial do sete nacional, considerando que o país é uma referência no continente ‘Berço da Humanidade’ e outras equipas têm estado a trabalhar para atingir a performance dos angolanos, o que, a acontecer, fará com que a África esteja bem “servida” em provas internacionais.Aremou Monsorou apontou as selecções do Congo e dos Camarões como sendo as que mais estão a evoluir, na sua opinião, em função do que Angola vem fazendo ao longo dos anos. O responsável adiantou que a Selecção Nacional é a principal candidata à conquista do título continental, tendo justificado a sua posição com o facto de as “Pérolas” terem feito o pleno na fase regular da prova, com resultados bastante dilatados.