“Trajectória” de Totó St será revivida em palco no auditório Pepetela em Luanda

Neste concerto, organizado pelo Camões - Centro Cultural Português, Totó revisitará temas da sua autoria incluídos em discos já lançados, como “Kukalitavele”, “Por beber”, “Luzinga Malembe” e “Ame ndu ku sole”

A “Trajectória” Totó St será revivida em palco esta Sexta-feira, 14, no auditório Pepetela, Centro Cultural Português em Luanda. Segundo a organização, o concerto, marcado para as 18 horas e 30 minutos, contará com a participação do músico Gari Sinedima, um dos nomes representativos do Jazz angolano. Neste concerto, Totó revisitará temas da sua autoria incluídos em discos já lançados, como “Kukalitavele”, “Por beber”, “Luzinga Malembe” e “Ame ndu ku sole”, estando os ingressos a ser comercializados ao preço de 5 mil kwanzas.

O cantor, que por sinal é guitarrista e compositor, é conhecido e aplaudido pela sua versatilidade e abordagem muito pessoal, na fusão do afro jazz com world music, funk, blues, soul, estilos africanos e R&B. De nome oficial Serpião Tomás, Totó nasceu em Luanda em 1980, no seio de uma família religiosa. Foi influenciado pela mãe e as tias, que integravam o grupo coral da Igreja, ao qual pertencem, o que lhe permitiu o primeiro contacto com a música religiosa.

Depois dessa experiência, Totó fez uma incursão na música angolana e brasileira e, posteriormente, começou na música americana. Aos 15 anos, alargou o seu interesse pelos instrumentos musicais quando um amigo lhe emprestou uma guitarra. Depois disso, o violão passou a estar intrinsecamente ligado à sua música.

Discos

Totó St já editou três trabalhos discográficos: “Vida das Coisas”, “Batata Quente” e “Filho da Luz” e conta no seu percurso artístico com participação em diversos Festivais, designadamente “Luanda Internacional Jazz Festival, em 2009 e 2012. Em 2017, fez uma digressão em Espanha, onde participou no Festival Fuerte Ventura (FEM), no Festival Heinecken Canárias Jazz & Más, no Festival de Musicas Mestizas (Numes), no Festival Banhos Árabes, no Festival Lá Mar de Música, no Festival Ednosur Sur e no Festival Pirineu Sur. Em 2016, foi vencedor da categoria “Melhor Afro Jazz do Ano no “Angola Music Awards”.

Convidado do show

Gari Sinedima, o convidado especial de Totó para o concerto “Trajectória”, pelo seu estilo clássico é conhecido como um dos nomes representativos do Jazz angolano. Já partilhou o mesmo palco nomes sonantes da música nacional e estrangeira, como Filipe Mukenga, Filipe Zau, Kizua Gourgel, Patrícia Faria, Selda, Aline Frazão, o cabo-verdiano Boy Ge Mendes, a Banda Café Negro, entre outros. Nascido e educado num ambiente eclesiástico, aos 5 anos descobriu o seu talento para a música, e ao longo do seu crescimento foi adquirindo outras experiências harmónicas e vocais ao lado consagrados compositores como de Boy Gê Mendes. Hoje é um dos nomes representativos do jazz angolano.

error: Content is protected !!