Carta do leitor: “Despedimentos em massa devidamente presenteados com o silêncio do Governo”

Caríssimo director do Jornal OPAÍS, é com muita tristeza que tenho acompanhado a forma como os valores éticos e os direitos do povo têm sido invertidos face às prioridades que o Estado tem dado a situações e acções que em nada abonam a vida do cidadão de bem, levando-nos a perceber que o Estado tem deixado de cumprir as suas funções e objectivos plasmados na Constituição da República de Angola.

POR:Judivaldo da Costa

Hoje, tive acesso à vossa matéria que fala exactamente do possível despedimento de 47 funcionários do Banco BANC, muito triste, pois temos acompanhado em várias empresas despedimentos em massa devidamente presenteados com o silêncio do Governo, nomeadamente o Ministério do Trabalho e o da Juventude e o Desporto, uma vez que na sua maioria são jovens que diariamente trabalham arduamente para sustentar os seus. Como jovem, dói-me muito, pois, certamente, teremos mais jovens para o desemprego, reforçando ainda mais a certeza das fragilidades das políticas públicas deficientes e paliativas criadas sem se centrarem nas reais necessidades do povo, e tudo isso em meio ao silêncio estridente do Governo. Por essa razão, surgem muitas perguntas que não se calam na minha mente Pra quando o resgate de emprego para os jovens? Pra quando o resgate de formação profissional? Pra quando o resgate de mais hospitais com atendimento qualificado e técnicos capazes? Pra quando o resgate da água e energia pra todos? Será que os Ministérios do Trabalho e o da Juventude e Desporto não notaram que as actuais políticas públicas, sobretudo as políticas direccionadas para empregos aos jovens, devem ser revisadas e reestruturadas? Parafraseando Dr. António Agostinho Neto “ o mais importante é resolver os problemas do povo”

error: Content is protected !!